Guimarães está a reduzir a sua factura energética através da substituição dos candeeiros de iluminação pública por equipamentos mais eficientes com tecnologia LED. Com a medida, a autarquia prevê reduzir até 65% o uso de electricidade.

Estas mudanças surgem de uma parceria da edilidade vimaranense com as empresas Siemens e a Osram. A cidade conta com dez mil novos equipamentos, que já se encontram em funcionamento. Os candeeiros possuem lâmpadas LED de 32W e 61W, que, explicam as empresas envolvidas, apresentam diversas vantagens relativamente aos equipamentos anteriores: para além de serem mais económicas, necessitam de menos manutenção, possuem uma vida de útil mais extensa, sem a necessidade de substituição com tanta frequência.

Para o presidente da câmara municipal de Guimarães, Domingos Bragança, estas alterações mostram que a cidade berço “está a investir no futuro”, ao poupando recursos e melhorando as condições de vida dos seus munícipes. “Esta aposta na tecnologia LED permite a poupança dos consumos energéticos e essa factura será consideravelmente reduzida no futuro, depois deste investimento no presente. A adopção desta tecnologia permitiu-nos aumentar a qualidade da iluminação pública do município, bem como a segurança dos munícipes e reforçar a sustentabilidade da cidade”, afirmou.

“Com esta alteração, nas zonas intervencionadas, Guimarães poderá registar reduções médias do seu consumo energético na ordem dos 65%, o que é significativo”, avança, em comunicado, Fernando Silva, director da divisão Energy Management da Siemens Portugal. “Para além de reduzirem a factura energética dos nossos clientes, estes projectos contribuem ainda para que as cidades alcancem as suas metas ambientais e de sustentabilidade”.

Guimarães era uma das 13 cidades finalistas ao título Capital Verde Europeia 2020, cuja lista foi anunciada esta semana e inclui Lisboa, Ghent (Bélgica) e Lahti (Finlândia). Apesar de não estar no lote final, Guimarães foi felicitada por Daniel Calleja, director-geral para o Ambiente da Comissão Europeia, pelo trabalho desenvolvido até aqui.

“Na sua primeira candidatura a Capital Verde Europeia, Guimarães não foi seleccionada para a avaliação final, que terá lugar em Junho, na Holanda, onde estará presente Lisboa, representante portuguesa que concorre pela quarta vez a quem, desde já, felicitamos e desejamos o maior sucesso na fase final. Orgulhosos do trabalho feito e dos resultados já conquistados, vamos intensificar o nosso esforço e o nosso trabalho para apresentar uma nova candidatura, convictos da forte esperança que temos para aspirar a ser Capital Verde Europeia. Convoco todos os vimaranenses para trilharem este caminho do desenvolvimento sustentável, na certeza que a força que emana da nossa comunidade será o garante do sucesso que desejamos conquistar”, reagiu o autarca em comunicado.