Os municípios de Vila Nova de Cerveira, no Alto Minho, e de Tomiño, em Espanha, preparam-se para lançar mais dois projetos de cooperação transfronteiriça no âmbito da Eurocidade que junta as duas povoações ibéricas.

O primeiro é destinado à implementação de uma estratégia conjunta que ajude a  aumentar a resiliência deste território face às alterações climáticas, através da valorização dos ecossistemas e dos seus recursos comuns, da cooperação institucional transfronteiriça e do envolvimento dos atores locais. “O objetivo é alavancar uma relação urbano-rural positiva, catalisadora de uma transformação dos hábitos de consumo, baseada na proximidade, nos recursos endógenos, no controlo das espécies invasoras e na economia circular”, diz a autarquia portuguesa em comunicado.

Com um investimento de 700 mil euros, esta iniciativa tem previstas várias ações conjuntas, como a criação de um projeto piloto de monitorização da ambiental, um estudo sobre prevenção de inundações e afetação dos recursos hídricos para atividade agrária, e ainda uma iniciativa piloto dedicada à economia circular.

Já aprovado está também um segundo grande projeto, este orçado em 200 mil euros, dedicado à promoção transfronteiriça da igualdade e conciliação da vida laboral, familiar e pessoal. Para isso, a Eurocidade Cerveira-Tomiño propõe realizar várias iniciativas, como workshops, ações de sensibilização e um evento de partilha de boas práticas. Neste caso, “pretende-se sensibilizar os jovens e o tecido empresarial e institucional para a necessidade de implementar medidas promotoras da igualdade, de não discriminação e de equilíbrio entre as vertentes pessoal e profissional”.

Juntos, os dois projetos representam um investimento de cerca de 900 mil euros, cofinanciados em 75% pelo Feder, através do POCTEP (Programa de Cooperação Espanha-Portugal Interreg), e tornam-se uma das vertentes mais visíveis da Agenda Urbana Eurocidade Cerveira-Tomiño 2030, apresentada publicamente em outubro, que define uma estratégia global comum para os próximos anos.

Agenda Urbana 2030 define o plano de ação da Eurocidade Cerveira-Tomiño para os próximos anos.

Esta prevê um total de 14 projetos, pertencentes a quatro áreas principais: economia circular e relações urbano-rurais; desenvolvimento territorial e dinamização de recursos endógenos; mobilidade e transição digital; e cidadania e igualdade.

“Com uma longa trajetória de cooperação, a Agenda Urbana reflete a história de colaboração e o compromisso mútuo de trabalhar em conjunto para abordar as problemáticas ambientais, sociais e económicas que afetam diretamente este território, bem como promover aquelas que são as principais potencialidades comuns”, diz a Eurocidade Caminha-Tomiño.

Constituída em outubro de 2018 com a missão de promover e intensificar a coesão territorial, esta plataforma transfronteiriça também tem em mãos um projeto de certificação de uma variante do Caminho de Santiago, com início na Póvoa de Varzim.

Fotografia de desataque: © Shutterstock