Lisboa vai implementar uma nova Zona de Emissões Reduzidas (ZER) na zona da Baixa e Chiado, numa medida que promete reduzir a circulação automóvel ao “mínimo indispensável”. No primeiro dia de Lisboa enquanto Capital Verde Europeia e apesar de não terem ainda sido anunciadas a data de implementação e a forma que a medida tomará, Fernando Medina prometeu “novidades em breve”.

Depois de ter implementado a sua primeira Zona de Emissões Reduzidas em 2011, com o objectivo de limitar a entrada dos veículos mais poluentes no centro da cidade, Lisboa anunciou o nascimento de uma nova ZER, prometendo “limitar a circulação de carros no centro histórico ao mínimo indispensável”. As palavras são do próprio presidente da câmara municipal de Lisboa, Fernando Medina, que, na rede social Twitter, prometeu “novidades para breve”, já que, até ao momento, não foi tornada pública informação referente à data de lançamento e à forma que a medida tomará.

Apesar de contar já com uma ZER, implementada em três fases distintas (a última ocorreu em 2014), os efeitos práticos da medida terão sido reduzidos. Um artigo do jornal O Corvo, publicado em Maio de 2018, reportava que “ninguém” teria sido multado por incumprimento das restrições de circulação “nos últimos dois anos”.

As novas restrições ao tráfego deverão concentrar-se na zona do Chiado e baixa lisboeta. Fernando Medina justifica a medida por esta tratar-se da zona da cidade “com maior oferta de transportes”, acontecendo numa altura em que a utilização de transportes públicos em Lisboa tem vindo a aumentar, assim como a aposta na renovação da frota da Carris, que vai lançar um concurso para a aquisição de “30 novos autocarros eléctricos”.

Passagem de testemunho

Foi às 17 horas e 36 minutos do passado sábado que Oslo, até então Capital Verde Europeia, passou o título a Lisboa, pelas mãos do presidente da capital norueguesa, Raymond Johansen. Agora, é Lisboa a detentora do título europeu, tornando-se na primeira cidade do Sul da Europa a ostentá-lo. Na primeira grande acção no âmbito da Capital Verde Europeia, cinco mil pessoas plantaram 21 mil árvores. A ambição da autarquia é que, até 2021, sejam plantadas 100 mil novas árvores em Lisboa.

Para além destes eventos e anúncio de medidas que marcaram o arranque da acção da cidade portuguesa, nesta segunda-feira, 13 de Janeiro, é inaugurada, na Praça do Município, a Loja Capital Verde 2020, onde terá lugar o primeiro "Encontros com o Futuro". Esta iniciativa, organizada pela câmara municipal de Lisboa e pela Lisboa e-Nova -- Agência de Energia de Lisboa, incidirá sobre quatro candidaturas de projectos aprovadas (três ao abrigo do programa Horizonte 2020 e uma no âmbito do LIFE) que visam áreas de transformação sustentável dos centros históricos (HUB-IN), eficácia na utilização da água (B-WATER SMART), utilização de soluções de base natural (CONEXUS) e adaptação climática na estrutura verde.