Durante dois dias, um veículo adaptado com tecnologia inovadora e software de inteligência artificial percorreu algumas das ruas da cidade de Lisboa, detectando resíduos no chão e recolhendo dados por onde passava. O projecto piloto enquadra-se nas acções de Lisboa - Capital Verde Europeia 2020 e quer testar uma solução tecnológica que optimize as acções de limpeza urbana.

Ao detectar os resíduos existentes nas ruas, o veículo, adaptado pela start-up suíça especializada em inteligência artificial Cortexia, fez a recolha de dados e a monitorização destes detritos, entre os quais beatas, papel, vidro e folhas de árvores. Ao mesmo tempo, a Litterati, uma start-up que promove e capacita pessoas para a realização de acções de limpeza dos seus bairros e que também participa neste projecto, percorreu os mesmos trajectos, fazendo uso da sua aplicação de “crowdsource-cleaning” - uma app que incentiva os cidadãos a apanhar resíduos das ruas, através da partilha de fotos e dos locais de limpeza "conquistada".

Nos passos seguintes, a informação recolhida no piloto será tratada e servirá de base para perceber a tipologia de resíduos na cidade de Lisboa, contribuindo, deste modo, para um melhor planeamento das intervenções de higiene urbana da cidade. Com isto, o projecto, que, para além destas start-ups e da câmara municipal de Lisboa, conta ainda com a colaboração da tecnológica Carto e da Tabaqueira (subsidiária da Philip Morris International), pretende fazer de Lisboa um exemplo internacional a seguir no que se refere à aplicação de novas tecnologias para a limpeza urbana.

Ao testar a tecnologia e metodologia no terreno, a iniciativa quis ainda ser “uma forma de sensibilizar e transmitir boas práticas ambientais, procurando promover o descarte adequado dos resíduos”, refere o comunicado.

A acção decorreu nos dias 25 e 26 de Agosto, mas a intenção é que volte a repetir-se no futuro. Depois de Lisboa, a iniciativa vai ser replicada a nível global pela Philip Morris International, que, recentemente, definiu, como objectivo para 2025, a redução de 50 % dos resíduos plásticos nos seus produtos, face a 2021.

Recorde-se que Lisboa é, este ano, Capital Verde Europeia, um título que reconhece o trabalho feito pela cidade em matéria de sustentabilidade ambiental e com o qual o município reforça os seus compromissos no contributo para um futuro mais sustentável.