A Comunidade SLI foi lançada simbolicamente no Dia da Ciência, sexta-feira, em Matosinhos. Nasce com o objetivo de potenciar e perpetuar as ligações construídas entre jovens estudantes, especialistas e o CEiiA nas edições do programa Sustainable Living Innovators, que vai já para a quinta edição.

Foi olhos nos olhos, numa pequena reunião no final do Dia da Ciência que o CEiiA assinalou o lançamento da Comunidade SLI. Um espaço para dar continuidade aos laços cerzidos durante as quatro edições anteriores do Sustainable Living Innovators, programa de desenvolvimento de futuros líderes tecnológicos criado no Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, em Matosinhos.

“É muito importante ter-vos connosco e que a nossa relação permaneça por muitos e longos anos”, disse Helena Silva, administradora do CEiiA, dirigindo-se aos jovens presentes no lançamento da Comunidade SLI. “É para nós inspiradora a forma como veem o futuro. Queremos que façam parte de nós para fazermos em comunidade”, acrescentou.

Uma plataforma digital vai liga os membros da Comunidade SLI num espaço de interação, reflexão e construção conjunta. Docentes, investigadores e profissionais de várias áreas continuarão a refletir e a construir novas ideias para a sustentabilidade e qualidade de vida do Planeta agora também nesta comunidade, para além das edições anuais do Sustainable Living Innovators (SLI), programa de um mês durante o qual jovens do secundário e do ensino superior são desafiados a pensar soluções para problemas concretos.

Devolver à sociedade e premiar o talento  

A Comunidade SLI é, também, uma forma de o CEiiA devolver à sociedade o conhecimento criado a partir do Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, que nasceu com a missão de pensar produtos e serviços para indústria automóvel, desígnios ampliados mais tarde aos setores da aeronáutica e do espaço.

Fixar os melhores talentos em Portugal é outra das ambições do CEiiA. “Mostrar que a partir do nosso país se fazem coisas muito importantes para o nosso planeta”, desafiou Helena Silva.

No final da reunião, José Rui Felizardo, CEO do CEiiA, anunciou a instituição de um prémio, no âmbito da Comunidade SLI, que distinguirá o melhor trabalho científico. “É importante reconhecer talento”, sublinhou.

André Dias, um dos responsáveis do CEiiA pela área do Espaço, falou aos sobre o que é “ser engenheiro” e fez votos para que a nova plataforma SLI seja “uma comunidade de resolução de problemas e uma comunidade ativa de reconhecimento de talento”.

O Dia Mundial da Ciência, iniciativa promovida pela UNESCO, assinala-se a 24 de novembro, com o objetivo de enaltecer o papel da ciência para o desenvolvimento humano, destacar grandes nomes da ciência, colocar desafios para o futuro e instigar o gosto pela atividade científica nas gerações mais novas.

Os detalhes da quinta edição do SLI, a realizar no verão de 2024, serão conhecidos em janeiro, mas sabe-se já que os jovens serão colocados perante o desafio de saber “Como é que as tecnologias do Espaço podem ajudar a resolver os problemas da Terra?”

“Vamos manter o desafio porque estamos no segundo ano do ciclo dedicado a explorar – Como é que as tecnologias do Espaço podem ajudar a resolver os problemas da Terra. No próximo ano, vamos avançar com um nível de detalhe maior para que as soluções dos Innovators possam endereçar desafios específicos relacionados com sustentabilidade do planeta e qualidade de vida das pessoas”, explicou Sónia Nunes, responsável pelo SLI. “Vamos convidar parceiros e activators, nacionais e internacionais. Queremos iniciar o caminho da internacionalização e ambicionamos trabalhar com entidades conceituadas a nível global que nos desafiem e complementem”, precisou.

Outro dos objetivos da próxima edição é, ainda, “receber candidatos de países de língua oficial portuguesa”, tendo em conta o foco desta edição no new space.