O Intelligent Cities Challenge (ICC) prolongou o período de submissão de candidaturas até 29 de Maio, por força da crise de saúde pública que os países europeus atravessam. O desafio - em português, o Desafio das Cidades Inteligentes - pretende ajudar cidades europeias a tornarem-se “mais verdes, mais sociais e mais inteligentes”.

O ICC é a iniciativa da Comissão Europeia que sucede ao Digital Cities Challenge, criado em 2017 para ajudar 41 cidades a “transformar as suas políticas digitais”. O recém lançado desafio estende-se agora a 100 cidades e pretende, através de um programa de 30 meses, apoiar centros urbanos nos domínios da sustentabilidade ambiental e da melhoria da qualidade de vida dos cidadãos através da implementação de soluções tecnológicas.

Devido à actual crise de saúde pública, resultante da propagação do novo coronavírus (covid-19), a organização do desafio decidiu prolongar o prazo final para a submissão de candidaturas até ao próximo dia 29 de Maio. A pré avaliação de candidaturas encontra-se, contudo, já a ser realizada, terminando no dia 18 de Maio.

A participação no Intelligent Cities Challenge destina-se a entidades públicas do governo local ou regional responsáveis pela implementação de iniciativas de transformação digital, inteligência urbana, desenvolvimento sustentável ou responsáveis pela atribuição de financiamento. Os candidatos devem ser representantes de cidades com mais de 50 mil habitantes ou de um consórcio de cidades. Até à data final para entrega de candidaturas, o programa da Comissão Europeia promove a realização de vários webinars com o propósito de auxiliar na preparação das submissões.

As cidades seleccionadas são anunciadas a 12 de Junho e participarão depois num programa de dois anos e meio, que termina em 2023 e inclui mais de 100 dias de visitas locais, eventos e apoio de especialistas em várias áreas para o desenvolvimento de estratégias de inteligência urbana. Ao abrigo do desafio, será promovida a implementação de soluções que visem a redução de emissões de gases com efeito de estufa, a criação de “novas oportunidades para os cidadãos” e a “melhoria da qualidade de vida”. Um conjunto de dez “cidades-modelo” da União Europeia vão integrar o desafio para “guiar” as 100 cidades participantes.

As candidaturas para o ICC e para a participação nos webinars podem ser submetidas no sítio web da iniciativa europeia.