Uma das condições das alterações climáticas é que temos cada vez menos dias de precipitação anual e cada vez mais episódios de chuvas intensas, como as que ocorreram durante o mês de janeiro em grande parte do litoral mediterrâneo. É provável que, por isso, venhamos a ter períodos mais longos de seca e de inundações causadas por chuvas torrenciais. Os mais prejudicados por estas alterações climáticas serão as cidades que não estiverem preparadas para enfrentar estes fenómenos. Optar por sistemas urbanos de drenagem sustentável pode ser uma forma de atenuar possíveis complicações resultantes de inundações.

Uma das soluções que pode ajudar a fazer face a este problema é a construção de sistemas urbanos de drenagem sustentável (SUDS), cujo objetivo é diminuir a quantidade de água que chega à rede pública de saneamento, reduzindo assim a possibilidade de inundações. Além disso, permitem armazenar e/ou reutilizar a água. Um exemplo de SUDS são os tanques de tempestade, capazes de recolher, infiltrar, armazenar e reutilizar a água da chuva. Permitem gerar recursos hídricos dentro das mesmas cidades, para serem reutilizados nos períodos de seca, e reduzem os efeitos negativos das alterações climáticas, como as chuvas torrenciais.

A empresa ACO, especializada no design e fabrico de sistemas para o tratamento e gestão de águas pluviais e residuais, fabrica o Stormbrixx. Um tanque de tempestade fabricado em polipropileno que é enterrado numa determinada área (ao lado das pistas de um aeroporto, por exemplo, ou nas proximidades de uma grande cidade) e que tem como principal finalidade reter a água da chuva recolhida por diversos canais de drenagem para, posteriormente, a distribuir de forma controlada para a rede de saneamento ou armazená-la para posterior utilização.

O sistema Stormbrix é usado como elemento de infiltração ou de redução. No primeiro caso, a água da chuva é reintroduzida gradualmente no terreno, alimentando os aquíferos de forma natural, reduzindo a carga de sistemas de drenagem e depuradores. Caso seja usado para redução, este permite aproveitar espaços transitáveis para diminuir os picos de precipitação, evitando sobrecargas da rede de saneamento. É, assim, possível otimizar sistemas de bombeamento e poupar nos coletores.

O elemento base do sistema Stormbrixx são peças de 1200 x 600 x 342 mm fabricadas em polipropileno e com oito meias-colunas cada. As colunas unem-se entre si através de um clipe integrado na união. Ao unir as peças de forma alternada entre si, é criado um tanque de águas pluviais no qual todas as peças estão entrelaçadas, formando um só bloco. Neste bloco, os pilares ficam alinhados uns sobre os outros, pelo que as cargas são transferidas diretamente para o terreno. Na extremidade exterior do sistema, são colocadas as paredes laterais e as tampas superiores que cobrem as aberturas dos pilares. O resultado é uma superfície homogénea de alta resistência.

A sua fácil construção modular permite obter soluções com excelente resistência estrutural que se adaptam às dimensões existentes na obra. O seu design com grandes colunas confere-lhe uma enorme robustez e, por sua vez, permite uma inspeção completa do sistema. Uma vez que as peças podem ser empilhadas umas em cima das outras, as despesas de transporte são otimizadas e diminui-se o espaço necessário para armazenagem no estaleiro da obra. Além disso, as peças ao irem montadas entre si permitem obter um conjunto homogéneo e sólido que funciona como um bloco único. A sua rápida montagem agiliza o tempo de instalação e reduz as despesas totais da obra.

O texto acima é da responsabilidade da entidade em questão.