Quatro meses depois da entrada em funcionamento dos caixotes de lixo inteligentes, a Cascais Ambiente – empresa municipal responsável pela limpeza urbana na vila cascalense – já tem um primeiro balanço e é positivo. O sistema permitiu melhorar o serviço, reduzir o número de recolhas semanais por caixote e evitar possíveis incómodos, mesmo quando há um aumento do número de pessoas na vila.

No âmbito do Smart Urban Cleaning – Estratégia para a Limpeza Urbana de Cascais, em finais de Outubro do ano passado, dez caixotes de lixo inteligentes foram instalados em várias ruas da baixa de Cascais. Cada um destes tem uma capacidade oito vezes superior à de um caixote tradicional e possui sensores de enchimento que emitem informação em tempo real sobre a capacidade usada. Graças a essa informação, é possível optimizar a recolha os resíduos, de forma a que esta só aconteça quando a capacidade está perto do limite. Para funcionar, os caixotes inteligentes dispõem ainda um painel solar incorporado que alimenta o sistema com electricidade de origem renovável.

Segundo a Cascais Ambiente, das 14 recolhas semanais por caixote realizadas anteriormente, passou a ser necessária apenas uma. “Os caixotes de lixo convencionais eram despejados duas vezes por dia, e isso era feito independentemente da quantidade de resíduos existentes. Os caixotes inteligentes são despejados, em média, uma vez por semana e apenas quando o sistema nos avisa”, explica Luís Almeida Capão, presidente do Conselho de Administração da Cascais Ambiente.

Para além da melhoria na eficiência das recolhas, os novos caixotes permitem que os cantoneiros possam fomentar novas competências e “ter um papel mais interventivo no sistema de limpeza urbana, apoiando-se nas informações recebidas digitalmente”, explica a empresa municipal, em comunicado.

“A alteração na frequência de deposição dos caixotes tem implicações na redução dos veículos em circulação no centro da vila de Cascais, logo, das emissões e do ruído e do consequente incómodo associado. Ainda estamos a apurar os números relativamente ao impacto ao nível dos custos na recolha, mas podemos adiantar que o impacto desta inovação está a ser muito positivo em Cascais, algo que muito nos orgulha, pois sabemos que os munícipes e visitantes sentirão também na limpeza urbana uma melhoria considerável”, acrescenta o responsável.

O Smart Urban Cleaning - Estratégia para a Limpeza Urbana de Cascais vem no seguimento da iniciativa Smart Waste Management, lançada em 2015, e visa contribuir para novos padrões de limpeza urbana, aumentar a sustentabilidade e melhorar a qualidade de vida no concelho cascalense.