2015-11-13

Bem-vindos à Analysis of Things

A era do Big Data “já passou e agora, mais do que o Internet of Things, importa o Analysis of Things”. Esta foi uma das grandes conclusões da 20ª edição do SAS Fórum Portugal, cujo tema central foi a importância das ferramentas de análise de dados para a inovação e para a competitividade das empresas. A iniciativa decorreu, esta semana, no Centro de Congressos de Lisboa, sob o olhar atento de 900 participantes.

 

Dada a quantidade de dados que são gerados por todos os dispositivos ligados à Internet — em 2020, deverão chegar aos 34 mil milhões —, o director-executivo do SAS Portugal, Fernando Braz, lembrou que estes dados “sozinhos de nada servem”, pelo que a sua análise tem um papel "inquestionável" como vantagem competitiva para as empresas. Mas, para isso, e uma vez que hoje “tudo gira em torno da tecnologia, dos dados e da informação”, as empresas devem trabalhar em rede, salientou o especialista europeu de TI (Tecnologias de Informação) Peter Hinseen.

 

A alteração de comportamentos induzida por redes sociais como o Facebook e o Twitter ou por aplicações móveis como a Uber levou o especialista a dar quatro conselhos à plateia: “pensem como uma start-up, inovem e aprendam a linguagem da rede, simplifiquem a estratégia e ajam. Todos devemos correr riscos para poder crescer”.

 

A mesma opinião tem David Leon, Managing Director da Accenture Digital, que reforçou, partilhando alguns exemplos de sucesso, que as organizações devem ser “ágeis, eficazes na execução e saber lidar com a mudança”.

 

A importância do tratamento dos dados e benefícios das soluções de Business Analytics foram, de resto, uma constante nas intervenções de profissionais do SAS e académicos, que expuseram as grandes tendências do mercado nas áreas das Telecomunicações, Académica, Risco, Fraude, Seguros e Banca.

 

O evento contou ainda com a apresentação de casos práticos, onde várias entidades, sob diferentes perspectivas, falaram sobre a utilização que fazem das soluções de Business Analytics na sua actividade. Neste grupo inseriram-se COSEC, AXA, Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, Banco Santander Totta, Segurança Social Espanhola (GISS), KPMG, HP-Intel, CGI, Universidade de Coimbra, NOVA IMS e ISG (Instituto Superior de Gestão) e Universidade da Extremadura.  

 

No âmbito do Marketing Digital, Suneel Grover, um dos maiores especialistas em Inteligência Digital, também destacou alguns casos de sucesso, nomeadamente na indústria da hospitalidade, recordando que grandes volumes de dados exigem o uso de ferramentas adequadas, de Data Mining, de forma a apoiar a implementação da estratégia delineada e o seu posterior sucesso.

 

VOLTAR

NOTÍCIAS RELACIONADAS

2017-10-12
Onde andam e o que fazem os turistas? Novo portal responde
Perceber “o que fazem e por onde andam” os turistas que visitam Portugal acabou de tornar-se mais fácil. O novo...
2017-10-11
Plataforma digital da Justiça destaca-se pela “proximidade” ao cidadão
Para o novo sítio web da justiça portuguesa, um mês de vida foi suficiente para serem publicamente reconhecidas...
2017-10-04
Alfa-AMA: Combater as alterações climáticas num bairro esmagado pelo turismo
No bairro de Alfama, é hoje difícil escapar à febre do turismo, mas duas investigadoras portuguesas estão...
2017-09-22
Em Torres Novas há um negócio que combate a “desconfiança” e aposta na bicicleta
A Recadex é um one man show. Licínio Neto inspirou-se no “aparecimento de empresas de estafetas de bicicleta em...
VER TODAS