Entrando pelo portão dos Jardins do Palácio de Cristal no Porto, entre 7 e 10 de Julho, estaremos a entrar num microcosmos do que é a comunidade vibrante e sustentável desta cidade.

Durante esses dias, realiza-se nesse local o CidadeMAIS, um evento gratuito que celebra a sustentabilidade e o ambiente. Criado e produzido pelo daRaiz, um projecto de amigos apaixonados por esta temática, instala-se e cresce na cidade com as parcerias da Biorumo, uma empresa de consultoria ambiental, e da câmara municipal do Porto. Ao local, já de si celebrativo do ambiente, somam-se as iniciativas do evento: oficinas, mercado, conferência, redemais, praça empresarial, concertos, aulas abertas, exposições, conversas e visitas guiadas.

A afluência de visitantes do CidadeMAIS cresceu de 15 000 na primeira edição para 20 000 na segunda. Um mês antes de se realizar a terceira edição, agora em 2016, tivemos nesse período de tempo 4000 visitas ao site espalhadas por 50 países, navegando cada usuário em média 4 minutos. São números que espelham a premência globalizada da temática num evento com pés, coração e cabeça.

A cidade, enquanto espaço que motivou a criação deste evento, encerra em si uma complexidade física, humana e cultural, que quando olhada e ouvida, o seu valor intrínseco emerge nas formas mais criativas. O Porto e a sua área metropolitana são o exemplo que nós conhecemos e onde reconhecemos esse despontar pulsante que o CidadeMAIS quer potenciar e dar visibilidade.

Como criar espaços onde a transformação de hábitos, políticas e estruturas é potenciada? É uma pergunta à qual procuramos responder a cada edição. Neste sentido, vão sendo limadas as próprias formas das iniciativas do evento. Há uma aposta em ferramentas de inovação social e na escolha de temas que reflitam as principais discussões internacionais à luz da realidade nacional e local.

Nesta terceira edição e destacando a conferência, trazemos o tema do Território Sustentável, dividido em quatro sessões: a Abordagem colectiva, o Acordo de Paris, uma Melhor Mobilidade e a Economia Circular. Entre os oradores convidados estarão: William Lin, que vai trazer o exemplo de Zhongshan, a cidade modelo sustentável chinesa; a plataforma europeia de crowdfunding Citizenergy, o movimento internacional Fashion Revolution e a Fundação Ellen MacArthur, que lidera o movimento internacional sobre economia circular, sendo a conferência encerrada pelo ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

Em iniciativas do evento, como a SociedadeMAIS e o RedeMAIS, serão abordados outros temas e  formatos que respondem à necessidade de simplificar a sustentabilidade e de criar comunidade. As autarquias, empresas, movimentos civis, fundações, universidades, centros de investigação, são movidas por cidadãos. São precisos, pois, os smart citizens a darem corpo e um futuro sustentável às smart cities na construção de um smart world.