Em Matosinhos, vão ser dados prémios a quem se deslocar de forma sustentável na cidade. O projecto “WeShare by AYR” vai chegar a toda a cidade, mas, numa primeira fase piloto, vai ter como “cobaias” os trabalhadores do centro de engenharia e desenvolvimento de soluções tecnológicas CEiiA, encontrando-se integrado na primeira Zona Livre Tecnológica (ZLT) de Portugal, implementada na cidade de Matosinhos com o objectivo de testar redes 5G e reduzir as emissões de gases com efeito de estufa.

O lançamento do projecto piloto “WeShare by AYR” aconteceu no passado dia 2 de Abril. É o primeiro piloto a ser lançado no âmbito da ZLT de Matosinhos e está orientado para a adopção de opções de mobilidade sustentável. Numa primeira fase, o piloto vai ser testado pelos trabalhadores do CEiiA e vai compensar, com prémios, aqueles que provarem utilizar, nas suas deslocações diárias, meios de transporte amigos do ambiente. As compensações vão surgir em forma de AYR Credits - a unidade de moeda de troca criada pelo CEiiA - e apresentada pelo centro de engenharia português na sede da Organização das Nações Unidas em Julho de 2018 - e serão acumuladas com recurso a uma aplicação móvel, que converterá as emissões poupadas em unidades de moeda. Através de tecnologia blockchain - que permite registos rápidos, seguros e automáticos de transacções -, os créditos conquistados nesta “moeda” através de deslocações realizadas com recurso a meios “amigos do ambiente”, poderão ser trocados por serviços de mobilidade que contribuam para a redução de emissões, é possível ler-se em notícia publicada este mês no jornal Público.

Numa primeira fase, o funcionamento do projecto abrangerá, apenas, os funcionários do CEiiA, que terão ao seu dispor aproximadamente 100 bicicletas e trotinetas eléctricas, disponibilizadas para as suas deslocações pendulares. O “WeShare by AYR” vai funcionar dentro da ZLT de Matosinhos, a primeira Zona Livre Tecnológica do país - dentro da qual serão testadas as redes 5G e soluções que permitam reduzir as emissões de gases com efeito de estufa. A operadora de telec0municações NOS é uma das parceiras da iniciativa, que estará encarregue de testar a aplicação da tecnologia 5G neste ambiente de negócio.

A partir do final do mês de Maio, e ainda segundo notícia do Público, o projecto deverá ser alargado aos funcionários da autarquia local e a todos os residentes de Matosinhos, devendo passar a ser disponibilizadas 250 bicicletas e trotinetas eléctricas em postos a instalar dentro da área da ZLT, que compreende a zona desde a Senhora da Hora até à marginal de Matosinhos. Quando o programa se alargar à cidade, prevê-se ainda que os créditos acumulados possam também ser trocados por produtos de origem biológica.

A implementação de Zonas Livres Tecnológicas encontra-se integrada no plano StartUP Portugal - Estratégia Nacional para o Empreendedorismo, apresentado pelo Governo em 2016.