Uma plataforma que tira partido da tecnologia blockchain para seguir a proveniência de produtos alimentares desde a sua origem até ao momento em que são adquiridos e trazidos para casa. O anúncio do lançamento da plataforma foi feito no dia 17 deste mês pela WWF - The World Wide Fund for Nature, uma organização não governamental que luta pela redução dos impactos humanos no meio ambiente. O objectivo é oferecer mais segurança na hora da compra dos alimentos.

Através da implantação de um selo, a plataforma OpenSC promete ser capaz de seguir o percurso dos alimentos, partindo dos locais de produção e passando pelo transporte e armazenamento, até ao momento de aquisição pelos consumidores finais. Tudo em nome da ética e da segurança alimentar. Através do recurso à tecnologia blockchain, que possibilita registos seguros e fidedignos dos movimentos realizados, a plataforma apresenta-se como uma ferramenta para o consumo informado, já que permitirá traçar o percurso dos alimentos com exactidão.

Entre as várias aplicações possíveis da plataforma e através da implantação de um selo RFID, estão as possibilidades de, com elevado grau de segurança, gravar os movimentos de um determinado produto alimentar e monitorizar dados como as temperaturas registadas durante as viagens de transporte e os períodos de armazenamento.

A plataforma digital OpenSC, agora apresentada, promete auxiliar também na identificação de bens alimentares produzidos sem ética, com recurso a trabalho escravo, ou de produtos que prejudicam o meio ambiente. Produtos de pesca ilegal ou da desflorestação poderão, com o recurso a esta plataforma, passar a ser de mais fácil identificação pelos consumidores.

Será através de qualquer aplicação capaz de ler códigos QR que os consumidores vão poder aceder ao percurso efectuado pelos bens alimentares que se encontram nas superfícies comerciais. Detalhes sobre data de produção, proveniência, e viagem até ao destino final passam a ser dados a conhecer, permitindo que os consumidores tomem decisões de compra mais informadas. Para isso, contudo, terá de existir interesse por parte dos negócios para a adopção deste selo. A tecnologia desenvolvida, segundo comunicado de imprensa da WWF, “foi construída para ser altamente compatível com a cadeia de operações existente”.

Até ao momento, algumas empresas, como a Austral Fisheries - empresa que integra o maior grupo de marisco do mundo, o Maruha Nichiro Group -, tornaram públicos os seus compromissos com a implementação da plataforma nos seus produtos.

A plataforma OpenSC foi desenvolvida pela organização governamental WWF e pela BCG Digital Ventures (BCGDV), uma empresa de capital de risco subsidiária da consultora norte-americana Boston Consulting Group.