A Minsait, subsidiária da multinacional de consultoria e tecnologia Indra, promoveu um redesenho das suas soluções de turismo inteligente para “ajudar cidades e territórios a desenvolver destinos turísticos mais seguros”. Um dos eixos da actualização é o foco na análise dos fluxos turísticos, possibilitando a simulação de cenários e a realização de análises preditivas.

O objectivo é tirar partido de informação que revela as preferências de quem viaja, antecipando as necessidades do turista, de modo a personalizar a oferta e a promover a segurança dos destinos de viagem. A adaptação das soluções da Minsait ao actual contexto pandémico visa o aproveitamento dos dados, para analisar, em tempo real, os fluxos turísticos, numa operação que pretende “aumentar a segurança e oferecer propostas personalizadas”, ao mesmo tempo que potencia impactos económicos positivos para as economias locais.

Em nota de imprensa, a Minsait destaca a sua plataforma Onesait Government Tourism, por permitir, através da análise dos fluxos turísticos, “aumentar a segurança sanitária dos visitantes nos espaços turísticos”, ao realizar análises preditivas, simular cenários e facilitar o planeamento de eventos.

Em tempo de pandemia, a empresa aposta em tecnologia de sensorização, beacons e câmaras - soluções que permitem agir em matéria de controlo de capacidade, “manutenção preventiva do património” e fornecem, ao visitante, informação contextual relevante sobre o local onde este se encontra, assim como a possibilidade de gamificar a experiência turística.

Joana Miranda, directora da área de Administração Pública e Saúde da Minsait, considera que “a recuperação do turismo vai exigir maior transparência e confiança, de forma a que os viajantes considerem regressar”. A responsável pela empresa, confirma que não há, para já, nenhum município português a aplicar esta solução, mas espera que isso possa vir a ser uma realidade “a curto prazo”.