A câmara municipal de Torres Vedras vai criar um pólo destinado à promoção da gastronomia e da produção vitivinícola da região nas antigas instalações do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV). O Pólo de Inovação do Vinho e Gastronomia vai contar com um centro de interpretação e com um laboratório colaborativo para o desenvolvimento de soluções inovadoras na área da agricultura. O projecto foi apresentado no passado dia 7 de Junho.

O Pólo de Inovação do Vinho e da Gastronomia - estrutura a que a autarquia se refere como “polinuclear” e que desenvolverá a sua actividade “suportada” por centros de interpretação, investigação e empreendedorismo na área da agricultura - vai instalar-se nas antigas instalações do IVV e vai acolher um laboratório colaborativo para a inovação tecnológica no sector da agricultura, como a Smart Cities havia noticiado em Abril deste ano. O novo pólo vai ainda albergar um centro de interpretação que apresentará uma exposição permanente sobre o património arquitectónico e vitivinícola da região, e um espaço de arquivo e documentação para a “produção de pensamento e discurso e o mapeamento dos recursos do território”, lê-se em nota de imprensa enviada pela autarquia.

Para receber o pólo, cujo processo de criação começou em 2017, o espaço vai passar por uma “refuncionalização”. No espaço, vão ainda instalar-se uma incubadora e “unidades de comércio e oficinas”, entre as quais se contam uma unidade hoteleira, unidades de restauração, uma horta comunitária e um FabLab comunitário, entre outros.

Apesar das mudanças anunciadas, o espaço vai continuar a acolher as instalações da Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa, da VITICER - Associação Nacional de Viveiristas Vitícolas e da AATV – Associação de Agricultores de Torres Vedras.