No ano em que Torres Vedras festeja o 40º aniversário da sua elevação de vila a cidade, o município organizou uma conferência sobre o caminho para a sustentabilidade a realizar nas próximas quatro décadas. A reflexão, que abordou as alterações climáticas e a sustentabilidade, contou com a presença do presidente da câmara municipal, Carlos Bernardes, do jornalista António Esteves e do investigador do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa João Ferrão.

No passado dia 11, feriado municipal de Torres Vedras, o auditório do edifício dos Paços do Concelho foi palco para a conferência “Torres Vedras no caminho da sustentabilidade: os próximos 40 anos”. Foi a segunda conferência realizada no âmbito da celebração dos 40 anos da elevação de Torres Vedras a cidade, tendo integrado o programa das festas do município.

Para João Ferrão, não é possível discutir o futuro “sem dar centralidade à questão das alterações climáticas”. Segundo o investigador, o facto de o concelho de Torres Vedras abranger características geográficas diversas - contando com uma zona litoral, mas também um centro urbano e território marcado pela floresta e pela actividade agrícola - representa “várias frentes de vulnerabilidade muito diferentes” face às alterações climáticas em curso.

Durante a conferência, o jornalista da RTP António Esteves elencou um conjunto de mudanças de comportamento que podem ser incluídas nas rotinas diárias, de modo a criar um “comportamento responsável” do ponto de vista ambiental, lê-se em nota lançada pelo município.

O presidente do município, Carlos Bernardes, também marcou presença no auditório dos Paços do Concelho. O autarca observou “três pilares” para a sustentabilidade: a coesão social, ambiental e económica. A estes, acrescentou, ainda, o modelo de governança, dando relevo àquela que considerou ser a necessidade de “dar voz às pessoas”.