Pensar o turismo sustentável e inteligente tem, este ano, um novo palco. Isto porque a ilha da Madeira vai acolher a primeira edição da conferência Smart Funchal - Cities & Tourism Summit, com o objectivo de colocar o arquipélago na frente do pelotão na abordagem às estratégias inteligentes insulares. O evento está marcado para os dias 11 e 12 de Maio, aproveitando também a ocasião da tradicional Festa da Flor.

Para fazer deste um evento singular e cumprir o desígnio de pensar o turismo de forma original, o painel de oradores não podia deixar de ser, também ele, singular, começando pelo “cabeça de cartaz”, Kevin Brauch. Apresentador do programa de televisão “The thirsty traveler”, que, em cada episódio, explora a terra, as pessoas, a produção, as empresas, costumes, tradições, alimentos e histórias relacionadas com a bebida mais conhecida da cidade ou região que aborda. À Madeira, Brauch promete trazer uma visão descontraída, mas especializada na abordagem ao turismo sustentável e inteligente.

À celebridade televisiva, juntam-se outros nomes que levarão à cidade a sua experiência, estudos e investigações, casos de sucesso, ou simplesmente ideias e opiniões fundamentadas, emitidas por opinion makers de  prestígio mundial. Entre eles estão Luigi Cabrini, presidente do Global Sustainable Tourism Council, Frank Cuypers da agência de consultadoria Destination Think, Joe Dignan da Future Cities Catapult, Piero Pelizarro da Milan Smart City, Luís Araújo do Turismo de Portugal, e Miguel de Castro Neto da Nova IMS.

A escolha da cidade do Funchal como anfitriã não é ao acaso. Isto porque, para além de ser um destino turístico nacional de excelência – só em 2015, o número de dormidas no arquipélago ultrapassou os 7,1 milhões, dos quais 63% dizem respeito ao Funchal –, a cidade está também a moldar o seu caminho na implementação de soluções inteligentes. O destino passa pela liderança na inovação, criatividade e arrojo nas estratégias de smart cities insulares, cativando estudiosos, peritos e stakeholders de todo o mundo, mas envolvendo também o potencial humano local na definição de rumos sustentáveis para o futuro da cidade. Mas não é tudo, há assuntos que são particularmente caros ao Funchal e à Madeira, muitos deles têm a ver com as alterações climáticas, com as adversidades naturais, as cheias, os incêndios e outros fenómenos aparamente incontroláveis e com efeitos deveras catastróficos. Por isso mesmo, o Funchal quer assumir-se como um exemplo de resiliência humana, com uma enorme capacidade de reconstrução a partir do caos, e temas como a prevenção, a antevisão, a planificação e a estratégia para enfrentar a adversidade vão ser também analisados e debatidos durante o Smart Funchal.
O Smart Funchal - Cities & Tourism Summit quer ainda ser um ponto de encontro entre decisores, cidades e empresas, na busca de novas ferramentas que mitiguem os problemas que afectam as ilhas, como a população flutuante, a captação de talentos, a mobilidade (local, nacional e internacional), a resiliência, as alterações climáticas, etc.
Depois de dois dias de conferência, fica o convite para contactar com o território e as suas histórias, mas também, numa perspectiva de futuro, conhecer as boas práticas que estão a ser feitas e planeadas para os próximos anos, num conjunto de experiências, workshops e tours a ter lugar nos dias 13 e 14 de Maio.

O evento é de participação gratuita, mas sujeita a inscrição. O Smart Funchal conta com a organização da cidade do Funchal, coordenado pela Conteúdo Chave.

A revista Smart Cities é media partner do evento.