"Margem dos Sentidos", assim se chama a Pequena Rota PR11CHV, promovida pela Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, Chaves, desenhada e implementada pela empresa transmontana Naturthoughts (NTN), e que foi inaugurada no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência (3 de Dezembro de 2019), por se tratar do primeiro percurso pedestre homologado acessível, inclusivo e sensorial implementado em Portugal.

Esta pequena rota tem um conjunto de informação em código Braille, segue um traçado praticamente plano, sem obstáculos, marcado com pavimento táctil direccional e pontuado por aparelhos de proximidade que transmitem informações áudio directamente a telemóveis que tenham instalada a aplicação móvel Feel® Chaves. O percurso foi experimentado e validado pela ACAPO antes da sua abertura oficial.

Para além desta particularidade, a “Margem dos Sentidos” integra elementos de interpretação do espaço natural e ambiental existentes na envolvente do Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, apelando à experimentação de uma dimensão sensorial na vivência destes espaços, e colocando os utilizadores em estreito diálogo com as obras de arte moderna e contemporânea que se encontram patentes, de forma permanente ou temporária, no museu.

Este percurso pedestre estabelece, uma ligação directa entre a ponte de Trajano sobre o rio Tâmega, o mais importante legado histórico do império romano de Aquae Flaviae e a colecção de pinturas de Nadir Afonso, o mais importante legado contemporâneo.

Quem instalar no seu telemóvel a aplicação móvel Feel® Chaves recebe informação sobre os principais pontos de interesse da Pequena Rota, abrindo uma porta de visitação ao Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso e uma janela de sensações sobre o rio Tâmega.

A app, desenvolvida pela empresa de Mirandela Naturthoughts (NTN), sob a marca registada "Feel", é um elemento diferenciador neste percurso pedestre mas abre o leque para muito mais, nomeadamente para quatro rotas temáticas de visitação na cidade de Chaves: rota da fotografia, rota do património, rota do sistema solar e rota da arte urbana.

Basicamente a tecnologia é usada para garantir uma experiência mais completa, informada, divertida e interativa para quem utilizar a app., que graças a um conjunto de sensores estrategicamente instalados em diversos pontos da cidade, faculta orientação, revela curiosidades, fornece informação útil e desafia o utilizador a “testar” a sua aprendizagem.