Promover soluções e projectos inovadores de turismo, numa perspectiva que alie a tecnologia à dinamização do território. Este é o principal mote do Smart Travel 2014, o congresso internacional de turismo smart, que vai decorrer de 4 a 7 de Dezembro, no Nordeste transmontano.

“Estamos a tentar associar a nossa região a um conceito smart, que é uma tendência mundial”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Mirandela, António Branco, na conferência de imprensa que, quarta-feira, anunciou o evento à região. Em plena praia da Fraga da Pegada, em Macedo de Cavaleiros, quatro autarcas da região (Mirandela, Bragança, Miranda do Douro e Macedo de Cavaleiros) apresentaram as mais-valias do Smart Travel 2014 e as expectativas para a região. Até porque, como enfatizaram, trata-se de uma oportunidade única para contactar com especialistas internacionais na área das smart cities e, ao mesmo tempo, dar visibilidade à região de Trás-os-Montes a uma escala global.

Frisando a “capacidade do evento de transformar o território”, António Branco elencou ainda as vantagens do Smart Travel 2014 numa altura de preparação para o próximo quadro comunitário de financiamento, já que este privilegia a componente de inovação. “É um evento a pensar no futuro, no que pode representar a disseminação do conhecimento”, reforçou.

Ao longo dos quatro dias do evento, o 'palco' não será apenas Bragança e Mirandela, cidades que albergarão o fórum. Depois de dois dias mais intensos de conferência, o objectivo da organização é que os participantes possam experimentar a riqueza turística do território, através de um conjunto de visitas à região transmontana. Ligadas essencialmente à gastronomia e natureza do território, são visitas que evidenciam ofertas turísticas inovadoras da região, não necessariamente com integração tecnológica.

Em paralelo, já foram confirmados como oradores diversos especialistas, investigadores e empresários ligados à área das smart cities. É o caso dos representantes das cidades espanholas de Santander e de Barcelona, Iñigo de la Serna e Manel Sanromà, respectivamente, Mas também do fundador da Living PlanIT, Steve Lewis, do investigador Boyd Cohen, do CEO da Six Fingers, Rob Adams, ou da CEO da Turisticate, Clara Soler.

Na base da organização do evento – e, também, da ambição de um trabalho futuro na região como destino turístico inteligente – está um trabalho em rede, que une os vários municípios do nordeste transmontano. Até porque o Smart Travel resulta de uma candidatura de duas associações de desenvolvimento local - CORANE e DESTEQUE - ao programa operacional regional do Norte ON.2, com um valor total de 150 mil euros.

O evento “marca um ponto na cooperação entre entidades”, avaliou o autarca de Bragança, Hernâni Dias, na conferência de imprensa, frisando que “só unidos poderemos dar a volta ao esquecimento de ser um território isolado”. Para o responsável local, “há um potencial enorme” no Smart Travel 2014, já que é um tipo de iniciativa “pioneiro a nível nacional”.

Nesta conferência em que “a inteligência é associada aos territórios e à tecnologia”, nas palavras do presidente da Câmara Municipal de Miranda do Douro, Artur Nunes, o Nordeste transmontano quer “dar o exemplo a nível internacional da diferenciação do território”, abrindo “janelas de oportunidades” na área da inovação, tecnologia e turismo. E, para o futuro, permitir que os municípios associados estejam mais bem preparados para ser “vanguarda dos destinos inteligentes”, concluiu o autarca de Macedo de Cavaleiros, Duarte Moreno.

Com inscrições gratuitas, a organização espera que a conferência internacional reúna cerca de 200 participantes durante os quatro dias de Smart Travel 2014.