A Intel abriu as portas de um novo centro de inovação para o desenvolvimento de novas tecnologias para a Internet of Things (IoT), em Swindon, Inglaterra. Esta é, assim, a quarta infra-estrutura da empresa de tecnologia norte-americana na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África), depois da inauguração, nos últimos dois meses, dos laboratórios de Estocolmo, Munique e Istambul (Intel Labs Europe).

O novo laboratório, segundo a empresa, vai dar especial atenção aos edifícios inteligentes e aos sectores do retalho e mobilidade, ao mesmo tempo que disponibiliza um espaço físico para os interessados testarem as ferramentas de hardware e software da Intel, receberem auxílio na concepção e desenvolvimento de soluções ou, ainda, para a realização de workshops educacionais com escolas. "Este laboratório vai providenciar aos clientes um local onde possam construir e testar na globalidade soluções para a IoT que vão transformar os nossos negócios e o nosso dia-a-dia”, afirmou Rod O’Shea, director de marketing da área IoT da Intel.

A empresa tem investido, nos últimos tempos, quantias avultadas em soluções inteligentes, onde se inclui a IoT. Só na Europa tem para cima de 50 localizações onde se faz investigação e desenvolvimento, em parceria com universidades, institutos e indústria. Veja-se também, por exemplo, o investimento num novo centro de investigação na China.

“Estamos orgulhosos por levar até ao mercado soluções inovadoras. Estes laboratórios são o testemunho do nosso empenho”, confidenciou Rod O’Shea.

No Reino Unido, onde fica o novo centro da Intel, o Conselho de Estratégia em Tecnologia do governo lançou, pela segunda vez, uma competição para investigação e desenvolvimento de projectos IoT no qual o vencedor recebe 1 milhão de libras. O desafio, que tem como alvo as pequenas e médias empresas de Cambridge e de Londres, financia em mais de 60% este tipo de projectos com o objectivo de impulsionar as empresas inovadoras, ainda em fase de arranque, a chegar mais rapidamente ao mercado.

De acordo com a Cisco, mais de 50 biliões de dispositivos vão estar conectados à Internet em 2020, sendo que um estudo da Agência de Investigação em Tecnologias da Informação, da Corporação de Dados Internacional, aponta para que o mercado global da IoT alcance os 7.1 triliões de dólares no mesmo ano.

Fotografia: ©Intel