O projecto Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses, que visa medir o impacto da actividade humana no consumo dos recursos naturais dos planeta, vai passar a contar com 18 municípios nacionais. Aos seis municípios presentes no lançamento do projecto, em Maio, juntaram-se Barcelos (em Outubro) e, esta segunda-feira, os 11 municípios da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, entre os quais Águeda, Ílhavo, Ovar e Aveiro.

Até ao final de 2020, cada um dos municípios que integram a iniciativa da associação ambientalista Zero - Associação Sistema Terrestre Sustentável e da Unidade de Investigação GOVCOPP da Universidade de Aveiro, deverá instalar a calculadora da pegada ecológica nos seus sítios web. O cálculo do impacto dos habitantes dos municípios no consumo dos recursos naturais é feito tendo por base uma metodologia desenvolvida pela organização não governamental Global Footprint Network. A calculadora compara a terra e a água disponíveis com o espaço efectivamente necessário a um determinado município para acomodar a sua infra-estrutura e os resíduos que produz, calculando as necessidades de espaço e, assim, a “pegada do consumo” - a área necessária ao consumo registado pela população. A ferramenta pode ser aplicada a várias escalas, comparando “os recursos naturais usados para suportar um determinado estilo de vida e fazendo a relação com a capacidade dos ecossistemas para gerar esses mesmos recursos”, lia-se em comunicado da associação Zero, em Maio.

São agora 18 os municípios portugueses a contar com calculadora da pegada ecológica. Depois de, em Maio, Almada, Bragança, Castelo Branco, Guimarães, Lagoa e Vila Nova de Gaia terem sido os seis primeiros municípios a aderir ao projecto, juntam-se Barcelos, Águeda, Albergaria-a-Velha, Anadia, Aveiro, Estarreja, Ílhavo, Murtosa, Oliveira do Bairro, Ovar, Sever do Vouga e Vagos.

Através de um “simples questionário acerca de hábitos quotidianos”, a calculadora possibilita a cada residente de um deste municípios o cálculo da sua pegada ecológica. Dos resultados consta, a título de exemplo, a apresentação do “Dia da Sobrecarga da Terra pessoal”, ou seja, “a data em que se esgotariam os recursos naturais para um ano se toda a população mundial tivesse o mesmo padrão de consumo do utilizador”, esclarece a Zero. A calculadora apresenta ainda “o número de planetas Terra que seriam necessários para sustentar a população mundial” com o mesmo nível de consumo do utilizador.

A adesão da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) foi oficializada esta segunda-feira, em Aveiro, numa cerimónia que contou com a presença do presidente da autarquia local, José Ribau Esteves, e do presidente da associação ambientalista Zero, Francisco Ferreira. A adesão de uma comunidade intermunicipal, é, para a associação ambientalista Zero, “um marco de elevada importância”, já que permite obter “uma visão mais integrada da região” e dos recursos utilizados, permitindo “perceber quais os sectores das famílias que mais contribuem para a pegada ecológica” e, assim, possibilitando a identificação de políticas de promoção da biocapacidade - a disponibilidade de recursos naturais e a capacidade natural de absorção dos impactos humanos num dado local.

Com o objectivo de “alertar para o impacto que os hábitos de consumo têm”, a ambição do projecto Pegada Ecológica dos Municípios Portugueses é chegar “a todos os municípios”, sublinha a Zero.