Tirar partido do poder da música para melhorar as políticas urbanas, potenciando o crescimento através da aposta na programação cultural, na inclusão social, na vida nocturna ou no planeamento urbano. Esta é a sugestão da Sound Diplomacy, consultora urbana especializada na estratégia musical das cidades, materializada na forma de um manual com 13 medidas.

A política de uma cidade em relação à música e a influência que esta pode ter no sucesso das suas políticas - estas são as lições que os 13 passos do manual Music Cities Manual, de consulta gratuita, pretendem dar. O recém publicado documento promete ajudar as cidades a aumentar o crescimento económico, social e cultural e resulta do trabalho da Sound Diplomacy, tendo sido disponibilizado no passado dia 27 de Março.

O manual conclui que “poucas cidades entendem como planear, gerir e utilizar a música para obter ganhos económicos, sociais e culturais”, apesar do “incentivo” que a cena musical de uma cidade traz ao lazer, turismo e até à instalação de empresas. Assim, encarando a música como “infra-estrutura” - tal como escolas, hospitais ou estradas -, o documento propõe 13 passos para as cidades promoverem o seu desenvolvimento, incorporando a música na estratégia global dos municípios e nos objectivos traçados.

Na nota de apresentação do manual, publicada no sítio web da consultora, a Sound Diplomacy reclama ter sido a primeira a publicar um relatório que “liga directamente a música a cada departamento da cidade, detalhando como pode [a música] ser uma ferramenta para aumentar o sucesso, gerar empregos, promover a riqueza e o turismo sustentável”.