Um filtro capaz de recolher microplásticos das águas utilizadas nas máquinas de lavar roupa é a solução vencedora da final nacional do ClimateLaunchpad, a maior competição mundial de tecnologia limpa. Para além deste filtro, um sistema de informação capaz de ajudar na compra de habitação foi distinguido pelo júri nacional. As duas soluções vão, agora, representar Portugal na final internacional, que decorrerá em Novembro, em Amesterdão.

A Micro Catch é uma “membrana nanoestruturada para recolher microplásticos das águas residuais das máquinas de lavar roupa” - é assim descrita a solução vencedora da final nacional da competição de tecnologias limpas, em comunicado de imprensa lançado ontem pelos dois promotores da competição em Portugal - a UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e a LIPOR, o serviço intermunicipal de gestão de resíduos do Grande Porto.

Também reconhecida pelo pelos jurados nacionais, a URBiome vai, com a Micro Catch, a Amesterdão representar Portugal na final internacional do ClimateLaunchpad. Apresentada como “um sistema de informação geográfico com layers para ajudar na compra de casa”, a solução portuguesa analisa critérios como preço, área, emissões de gases com efeito de estufa, vegetação e outros, para filtrar a chegar à melhor localização para a casa que o utilizador pretende adquirir.

Para além de representarem Portugal na final de Amesterdão, as duas soluções recebem, individualmente, acesso a mil euros em formação na Ordem dos Engenheiros da Região do Norte e a horas de serviços jurídicos gratuitos.

Para trás, na competição nacional, ficaram soluções que produziam alimentos nutritivos através de microalgas, um pavimento que táctil para invisuais feito de plástico reciclado, ou ainda bioetanol desenvolvido a partir de resíduos florestais e agrícolas.

A final internacional da competição de tecnologias limpas, que conta com o apoio do Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia (EIT), vai juntar, em Novembro, mais de 100 projectos provenientes de 49 países. O vencedor desta edição vai receber 10 mil euros, sendo que o segundo e terceiro classificados receberão, respectivamente, 5000 e 2500 euros. Em 2018, competiram no ClimateLaunchpad mais de mil equipas de 49 países.