Helsínquia, Copenhaga, Stavanger, Amesterdão, Talin e a região de Paris juntaram-se num projecto europeu que vai analisar as necessidades das cidades para, de seguida, lançar um desafio às empresas: desenvolver soluções de inteligência artificial (IA) para os campos da energia e mobilidade. O projecto está em curso desde Janeiro e termina em Dezembro de 2022.

Será no âmbito do recém criado projecto europeu AI4Cities, que várias cidades europeias e a região de Paris vão procurar usar as potencialidades da IA para desenvolver novas soluções energéticas e de mobilidade, numa iniciativa que visa a aproximação à neutralidade carbónica.

Para chegar ao resultado final, há que passar por cinco etapas. Primeiro, as autoridades públicas envolvidas no processo vão definir as necessidades e os requisitos das soluções a implementar, “guiando o desenvolvimento de novas soluções em função das necessidades”, lê-se em comunicado da plataforma de aquisição de inovação IPP, gerida pelo ICLEI - Local Governments for Sustainability. No passo seguinte, as participantes - Helsínquia (Finlândia), Copenhaga (Dinamarca), Stavanger (Noruega), Amesterdão (Países Baixos), Talin (Estónia) e a região de Paris (França) - vão “desafiar” start-ups e grandes e médias empresas a desenhar soluções inovadoras, aplicando, para isso, inteligência artificial, mas recorrendo, também, a tecnologia 5G, Internet das Coisas (IoT) ou big data.

Na “fase de preparação”, as cidades vão organizar actividades de discussão, workshops e eventos de matchmaking, de modo a garantir que a “consulta de mercado seja um exercício ambicioso de co-criação”. Com o objectivo de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa das cidades e auxiliar no caminho para o cumprimento das metas ambientais definidas, o processo passa, depois, pelo desenho da solução, o desenvolvimento de um protótipo e o seu teste.

Caberá ao projecto AI4Cities, que recebe financiamento a partir do programa Horizonte 2020, seleccionar um “mínimo de 40” empresas - 20 para o desafio energético e 20 para o desafio no sector da mobilidade - para apresentar um desenho de conceito e um estudo de viabilidade. No final, 20 serão convidadas para chegar à fase da prototipagem e um mínimo de seis terá a oportunidade de implementar a solução desenvolvida em pilotos de “maior escala”.

 

Foto: ©ICLEI Europe