Arrancou, na passada quarta-feira, o Programa de Aceleração Newton, uma iniciativa da Rede de Incubadoras da Região Centro (RIERC) que apoia projectos tecnológicos na área do turismo daquela região. Com aproximadamente 100 candidaturas, a terceira edição do programa, que já resultou na criação de sete novas empresas e 30 postos de trabalho, seleccionou 17 projectos para a sua fase final.

De um total de 96 projectos submetidos, foram seleccionados 17. Até 4 de Dezembro - data em que se realizarão as apresentações dos projectos -, as ideias seleccionadas vão passar por um período de incubação, com acompanhamento por parte de mentores da RIERC e formadores do Instituto Pedro Nunes (IPN) - instituição privada sem fins lucrativos, criada pela Universidade de Coimbra em 1991, com o propósito de fazer a ligação “entre o meio científico e tecnológico e o tecido produtivo”. O objectivo é “estimular a inovação e o empreendedorismo na região Centro, através do incentivo à criação e apresentação de novas ideias e start-ups no sector do turismo”, lê-se em comunicado do IPN, instituição associada ao programa.

As equipas associadas aos 17 projectos escolhidos no âmbito do Programa de Aceleração Newton - New Opportunities Network vão realizar workshops orientados para a “idealização, desenvolvimento de produto, marketing, investimento e financiamento” e vão receber apoio financeiro de até 2500 euros para a “realização de protótipo e validação no terreno”, esclarece o comunicado.

A 4 de Dezembro, no Instituto Pedro Nunes, serão apresentadas as propostas no dia de demonstração (Demo Day) do programa de aceleração.

Aos três melhores projectos, a seleccionar entre os 17 em competição, serão atribuídos prémios em forma de serviços de incubação no valor de cinco mil euros. Para Carlos Cerqueira, director de inovação do IPN, esta é “uma forma de ajudar projectos a chegar ao mercado”.

O Programa Newton, agora na sua terceira edição, já foi responsável pela criação de sete novas empresas e de 30 novos postos de trabalho.