A Festa das Vindimas de Montmartre, que decorreu entre os dias 11 e 13 deste mês, foi o palco escolhido pelo município da Guarda para a apresentação da sua candidatura a Capital Europeia da Cultura, em 2027 - ano em que uma cidade portuguesa volta a receber este título. Para além da Guarda, também estão na corrida Aveiro, Braga, Évora, Faro, Leiria, Oeiras, Ponta Delgada e Coimbra.

A candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura aconteceu no passado dia 12, na câmara municipal de Paris, tendo sido escolhido para a sua apresentação o momento de realização da Festa das Vindimas de Montmartre, um dos eventos que atrai mais público na capital francesa. Segundo o município português, a escolha do evento parisiense, aconteceu com o objectivo de “promover uma parceria” com o município de Paris e outras autarquias da região, no âmbito da candidatura.

Representada pelo vereador da cultura da câmara municipal da Guarda (CMG), Vítor Amaral, a comitiva da Guarda em Paris contou também com a presença do presidente do município, Carlos Chaves Monteiro e com o embaixador de Portugal em França, Jorge Torres-Pereira.

A candidatura da Guarda é de “âmbito regional e transfronteiriço”, envolvendo “os 17 municípios da Comunidade da Beira e Serra da Estrela, do Douro, os municípios que integram a Associação das Aldeias Históricas e das Aldeias de Xisto e municípios e instituições da Região Vizinha de Espanha”, revela a câmara municipal da Guarda em comunicado.

Em Junho de 2017, foi aprovada a lista dos Estados-Membros que vão acolher as capitais europeias da cultura de 2020 a 2033, tendo ficado definido que, em 2027, uma Portugal e Estónia terão, ambas, uma Capital Europeia da Cultura. Depois de Lisboa, em 1994, Porto, em 2001, e Guimarães, em 2012, Portugal volta, assim, a ter uma cidade com o título europeu.