O que têm em comum Viena, Florença, Atenas ou Silicon Valley? Todos estes lugares foram o berço de algumas das ideias mais inovadoras da História da Humanidade. Será que, de alguma forma, a sua configuração urbana influenciou o surgimento destas ideias? Esta é a pergunta a que Eric Weiner, autor, conferencista e ex-jornalista, tenta dar resposta no seu novo livro, A Geografia dos Génios.

Na obra, Weiner defende que a cultura que as pessoas vão adquirindo ao longo da sua vida é o grande impulsionador da criatividade e que esta tende a florescer em determinados locais. Recorrendo ao sentido de humor, o autor fala de uma “geografia da criatividade”, estabelecendo uma relação entre as mentes geniais e as cidades ou lugares, onde, graças às suas particularidades, estas aparecem (e se vão desenvolvendo).

Numa espécie de volta ao mundo em oito capítulos, Eric Weiner – que se descreve como um viajante filosófico – vai descobrir o que está no ar destas cidades que criam cidadãos tão especiais e pergunta: “Podemos engarrafá-lo?”. A obra mostra como Weiner é “obcecado” pela intersecção de lugares e ideias, numa convicção de que é neste cruzamento que, na sua perspectiva, têm lugar os aspectos “mais fascinantes da vida”, tais como a procura da felicidade, a realização espiritual ou a expressão criativa.

A Geografia dos Génios foi já considerado pela Amazon e pelo Washington Post como um dos melhores livros de 2016 e ainda um New York Times Bestseller.

Eric Weiner foi correspondente da Rádio Pública Nacional e recebeu vários prémios de jornalismo, escrevendo actualmente para a BBC, o Los Angeles Times e o Washington Post. É também autor da obra A Geografia da Felicidade, também publicada em Portugal.