A empresa portuguesa de engenharia e construção civil dstgroup e a galeria de arte zet gallery estão, até 3 de Abril, a convidar artistas a reflectir sobre a economia circular através da criação de uma obra de arte criada a partir de resíduos  industriais ou resultantes da construção e demolição de edifícios. O prémio Arte em Espaço Público e Sustentabilidade foi lançado no dia 12 de Fevereiro. O artista vencedor recebe um prémio monetário de 7500 euros e a sua criação estará em exposição, a partir de Outubro, num espaço público da cidade de Braga.

“Afirmar um pensamento estratégico sobre a economia circular, a partir da criação artística contemporânea” - é assim que as entidades promotoras do prémio definem a criação artística a premiar. Com o apoio do Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade (IB-S) da Universidade do Minho, o desafio agora lançado está em criar uma obra de arte que reflicta sobre a economia circular e seja criada com materiais que resultaram da construção e demolição de edifícios ou resíduos industriais.

A chamada à participação está aberta até ao próximo dia 3 de Abril e destina-se a artistas nacionais e internacionais. As propostas conceptuais dos participantes não está sujeita a uma pré-selecção de autores, mas devem cumprir um conjunto de requisitos definidos pelo regulamento do concurso. A criação vencedora será cedida ao município de Braga para ser, depois, exposta num espaço público da cidade. O objectivo do concurso é a afirmação de “uma possibilidade de relações que se estabelecem e se continuarão a estabelecer entre a criação artística, a natureza e a indústria”, lê-se em nota de imprensa.

Finda a fase destinada à entrega de participações, a 8 de Maio serão anunciadas as três propostas que seguem para a fase seguinte, que apresenta o dia 26 de Junho como data limite para a entrega de maquetas ou projectos tridimensionais das obras apresentadas. O júri do concurso, responsável pela avaliação das propostas em todas as fases, é “multidisciplinar”, sendo composto por dirigentes da empresa de engenharia, por académicos e investigadores, mas também pela autora Lídia Jorge, vencedora do Grande Prémio de Literatura dst 2019, promovido pela empresa portuguesa.

O vencedor do prémio Arte em Espaço Público e Sustentabilidade é dado a conhecer a 21 de Julho. O artista vencedor recebe um prémio de 7500 euros e a exposição da sua obra na cidade de Braga será concretizada a 3 de Outubro, num espaço público a acordar entre os promotores do concurso e o município.

No decorrer da fase de concurso, os artistas participantes vão visitar o centro logístico do dstgroup, numa iniciativa que proporcionará a avaliação e selecção de resíduos para posterior integração nas obras. Recorde-se que a zet gallery é um projecto desenvolvido pelo dstgroup.