Nos próximos dias 8 e 9 de Outubro, Cascais vai ser palco da SingularityU Portugal Summit Cascais, uma cimeira global sobre a disrupção tecnológica aplicada aos desafios da humanidade. O evento terá lugar no recém-inaugurado campus da Nova SBE - School of Business and Economics, em Carcavelos, numa altura em que a autarquia cascalense se prepara para apresentar um “grande projecto” na área da inteligência artificial (IA).

“A inteligência artificial no apoio à governação é uma área na qual podemos apostar no futuro de uma forma mais efectiva. A IA vai revolucionar completamente a nossa forma de olhar para o mundo e de gerir a coisa pública, por isso, esta é uma área onde nós estamos agora a dar os primeiros passos”, anuncia à Smart Cities Miguel Pinto Luz, vice-presidente da câmara municipal de Cascais. Sem avançar mais informações, o autarca revela apenas que, até ao final do ano, o município vai apresentar um “grande projecto” nessa área.

A inteligência artificial será um dos temas a abordar nos dois dias da SingularityU Portugal Cascais Summit, mas não só. Especialistas de renome de áreas como a ciência, tecnologia e inovação vão partilhar as suas visões e debater abordagens de futuro face à evolução tecnológica, em matérias como biotecnologia, cidades inteligentes, robótica, Internet of Things, armazenamento de energia, medicina do futuro, ambiente, educação, blockchain, sistemas e redes de computação, financiamento e a cultura do trabalho do futuro.

Durante os dois dias do evento, os participantes são convidados a “aprender a ver o mundo de forma diferente”, diz Rob Nail, CEO da Singularity University. ”A discussão irá tocar em pontos chave com impacto na produtividade nas próximas décadas e que são aplicáveis em diversas áreas do desenvolvimento económico em Portugal, incluindo a produção industrial, o comércio, o retalho, os mercados financeiros, a energia, a saúde, o mar, a educação, a alimentação, o ambiente, os serviços, os transportes e o planeamento urbano”, adianta.

Para Cascais, receber o evento foi uma decisão acertada, já que o município se quer afirmar como um laboratório vivo de experimentação, “desde Carcavelos até à Serra [de Sintra]”, conta Miguel Pinto Luz. “Este é um evento que aborda a temática da disrupção na sociedade, nas nossas vidas, e que vamos sentir nos próximos anos de forma acelerada. Não há sítio melhor para o fazer do que em Cascais, que tem vindo a abraçar toda esta transformação tecnológica de adaptação da sociedade a um novo tempo”, argumenta o autarca. “O objectivo final é contagiar positivamente quem assistir a essa conferência para permitir que haja externalidades positivas na geração de novas ideias, novos projectos e novos processos que possam vir a ser implementados aqui [no concelho]”.

Nesta matéria, Cascais tem levado a cabo vários projectos que aliam a tecnologia à melhoria da qualidade de vida dos munícipes. Aproximar o cidadão do eleito e promover a democracia participativa utilizando as novas tecnologias tem sido uma das principais apostas do município, que tem também investido na instalação de sensores. Segundo Miguel Pinto Luz, hoje a vila está “altamente sensorizada, sendo possível medir a vida na urbe”.

Mas promover o debate e incentivar à inovação tecnológica não foram as únicas razões para Cascais querer acolher a SingularityU Portugal Cascais Summit. Durante 2018, o município detém o título de Capital Europeia da Juventude, pelo que se encontrou “aqui uma complementaridade óbvia entre o que será o trabalho da Singularity University em Portugal e [o apoio à] juventude”, sem esquecer de que “serão os jovens aqueles que irão sentir de forma mais premente a disrupção tecnológica”, explica o autarca.

Outro factor que vai também diferenciar o evento é o local onde este se vai realizar – o grande auditório do novo campus da Nova SBE, cuja inauguração aconteceu no fim-de-semana passado. Miguel Pinto Luz assegura que a vinda da universidade para Carcavelos foi preparada pela autarquia cascalense, antecipando os efeitos da chegada de 3000 alunos ao concelho. “[Esperamos] O impacto positivo de uma escola com a qualidade e talento que a Nova hoje tem, capaz de nos ajudar também a transformar a cidade. São 3000 jovens, dos quais 50% são estrangeiros, que trazem ideias, nos abrem ao mundo, mas que, acima de tudo, são extremamente talentosos. A média de entrada na Nova é das mais elevadas do país e, portanto, estamos a falar dos melhores dos melhores e, por isso, é um privilégio para um concelho como Cascais poder ter uma escola como a Nova SBE aqui connosco”, exclama.

Entre os oradores que vão marcar presença nos dias 8 e 9 de Outubro, estão David Roberts, um dos maiores especialistas do mundo em tecnologia disruptiva, Michelle Zappa, futurista e consultor tecnológico, e Vivienne Ming, neurocientista, tecnóloga e empresária nomeada pela revista Inc. como uma das 10 ‘mulheres em tecnologia’. Para além da conferência, a SingularityU Portugal Summit Cascais vai ser um espaço de networking e incluir um Laboratório de Inovação, onde várias empresas seleccionadas irão apresentar as suas criações, participação em conversas informais, e ainda um espaço de workshops, onde os participantes irão aprender sobre diferentes tecnologias e pensamento criativo.

A SingularityU Portugal Summit Cascais é organizada pela Beta-i, Nova School of Business and Economics e câmara municipal de Cascais e surge no âmbito da Singularity University, comunidade global criada em Silicon Valley em 2008 que visa capacitar líderes para melhor tirarem partido de tecnologias emergentes para dar resposta aos desafios do mundo actual e futuro.