O Porto juntou-se a seis outras cidades europeias num projecto com financiamento comunitário e assinou uma “declaração de princípios”, comprometendo-se com a procura de soluções “circulares” para a gestão de resíduos urbanos. O projecto City Loops arrancou no final de Outubro e vai decorrer até Setembro de 2023, estando previsto o teste de mais de 30 novas ferramentas destinadas a acelerar a transição para uma economia circular.

São sete as cidades piloto europeias comprometidas no processo de identificação de “soluções favoráveis” para a gestão de resíduos sustentável, no âmbito da transição para uma economia circular - modelo económico orientado para o reaproveitamento, regeneração e restauração. Para além do Porto, unem-se, no City Loops, as cidades Høje-Taastrup e Roskilde (Dinamarca), Mikkeli (Finlândia), Apeldoorn (Holanda), Bodø (Noruega) e Sevilha (Espanha).

As cidades que integram o projecto, lançado na Dinamarca e financiado pelo programa de inovação e investigação Horizonte 2020, assinaram a “Declaração de Cidades Circulares”, comprometendo-se, até Setembro de 2023, a testar mais de 30 ferramentas e procedimentos “de acesso aberto”, com o objectivo de promover a circularidade nos processos de gestão de resíduos urbanos. O foco do projecto vai para os resíduos orgânicos e para os resíduos provenientes de actividades de construção e demolição. Estes últimos são responsáveis por 25% a 30% do total de resíduos gerados na União Europeia (UE).

Lançado no final de Outubro na Dinamarca, o projecto é liderado pelo ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade e pretende abrir caminho para uma coligação de cidades circulares e para a replicação futura, a nível europeu, de um modelo testado. No âmbito do projecto, as cidades deverão explorar formas de promover a utilização de materiais reciclados, mas também acções de reparação, reutilização e reciclagem de produtos e materiais, procurando integrar, nas aquisições da cidade, estes princípios circulares.

Participam no projecto 28 organizações de oito países, entre as quais estão quatro entidades portuguesas: o município do Porto, a empresa municipal Porto Ambiente, o Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto (LIPOR) e a 2GO OUT Consulting, empresa de consultoria ligada à inovação e sustentabilidade.