A cidade de Aveiro foi uma das 22 escolhidas pelo programa comunitário Urban Innovative Actions (UIA) e prepara-se, agora, para implementar uma “revolução tecnológica”. Impulsionar o uso das novas tecnologias no espaço público, potenciar as oportunidades digitais e implementar uma plataforma urbana de dados são algumas das iniciativas que dão forma ao STEAM City. A apresentação pública tem lugar esta sexta-feira, no Teatro Aveirense.

Foi anunciado durante a Semana Europeia das Regiões e Cidades, em Outubro passado, em Bruxelas, e prepara-se para arrancar, no início deste ano, em Aveiro. Com apresentação pública marcada para o dia 8 de Março, o projecto STEAM City é o grande desafio do município no âmbito das novas tecnologias. A iniciativa contempla a implementação de infra-estruturas e tecnologias 5G e a criação de uma plataforma urbana de dados, ao mesmo tempo que desenvolve uma série de iniciativas com vista a acelerar as competências e oportunidades digitais e tecnológicas existentes no concelho.

O projecto resulta da candidatura feita ao programa comunitário Urban Innovative Actions (UIA) e que dá ao município uma verba de 4,9 milhões de euros. A esse montante, juntam-se mais 1,2 milhões, investidos pelos vários parceiros do projecto, num orçamento global de 6,1 milhões. Aveiro foi uma das 22 cidades europeias escolhidas para receber este apoio e a única portuguesa, tendo sido reconhecida como uma das candidaturas mais inovadoras entre as 184 apresentadas.

“Este projecto é uma oportunidade muito importante para apoiar a transição da cidade de Aveiro para uma economia mais alicerçada no conhecimento e na tecnologia, assim como para uma população mais envolvida na utilização das TICE na sua vida urbana”, revela à Smart Cities José Ribau Esteves, presidente da câmara municipal de Aveiro. “Pretendemos ser uma cidade modelo ao nível da disponibilização das novas tecnologias de comunicação, como o 5G, em espaço público, explorando um ecossistema institucional único que temos em Aveiro e dando, por essa via, um contributo para a boa utilização e gestão da cidade, assim como para a sua diferenciação e atractividade. Queremos estar ao nível do melhor que se faz na Europa”, aponta.

Para implementar a componente tecnológica, a autarquia vai contar com a Altice Labs, que assegurará a parte das infra-estruturas de rede com tecnologia 5G. Desta forma, o município passa a dispor de uma rede móvel com mais capacidade de ligações e mais velocidades. Será também no âmbito da parceria com a Altice Labs que a plataforma urbana de dados vai ser implementada e gerida. De acordo com a autarquia, a plataforma urbana de gestão de dados deverá estar implementada no final de 2021 e vai permitir apoiar na gestão da cidade, promovendo um impacto positivo ao nível da gestão dos recursos.

O projecto conta ainda com a parceria do Instituto de Telecomunicações (IT) da Universidade de Aveiro, da INOVARIA - Rede de Inovação em Aveiro e da Associação para um Centro de Estudos em Desenvolvimento Sustentável (CEDES), cujos esforços vão possibilitar a criação de um Observatório do Emprego, responsável por identificar as necessidades das empresas tecnológicas locais e desenvolver programas de formação de acordo com essas mesmas necessidades.

Um dos eixos principais para a potencialização das competências digitais é a actuação nas escolas e, para isso, o projecto contempla a implementação de Tech Labs em 37 instituições de ensino que vão dotar as escolas de equipamentos de base tecnológica, tais como impressoras 3D.

 

 

No âmbito do STEAM City, haverá também um esforço para o desenvolvimento de novas tecnologias com vista à descarbonização. Assim, prevê-se a instalação de estações de carregamento eléctrico destinados aos moliceiros que navegam na Ria de Aveiro, esperando-se que, até 2020, todos os barcos deste tipo a operar nos canais da Ria sejam eléctricos.

Explicada a componente tecnológica, importa também perceber de que forma o município aveirense pretende envolver as comunidades numa iniciativa que deverá “revolucionar” a vida dos cidadãos. “No âmbito deste projecto, há diferentes responsabilidades dos vários parceiros envolvidos e temos acções dirigidas e participadas pelos cidadãos”, responde Ribau Esteves, “a câmara municipal de Aveiro, como líder e principal investidor, irá implementar um conjunto diversificado de acções, cujo detalhe será mais bem apresentado na sessão de apresentação pública do projecto que vai acontecer nas próximas semanas”. Ainda assim, o autarca não deixa de aguçar a curiosidade e adianta: “Vamos realizar acções com a Comunidade Educativa, com capacitação de competências STEAM e de mobilização para o uso das novas tecnologias na vida urbana; vamos implementar uma acção denominada Aveiro Challenges, em que se pretende, em conjunto com diferentes sectores da comunidade local, definir desafios para a cidade em áreas tão diversificadas como a mobilidade, ambiente, energia, acção social, entre outras. Com base nesses desafios, empresas de base tecnológica ou centros de investigação irão propor soluções e, em cada área, serão atribuídos apoios financeiros à sua implementação”.

O programa Urban Innovative Actions é uma iniciativa da União Europeia que tem como objectivo oferecer às cidades recursos capazes de resolver desafios urbanos. A iniciativa europeia tem 372 milhões de euros para distribuir por cidades de Estados-Membros, no período compreendido entre 2014 e 2020.