De 11 de Maio a 27 de Julho, a 8ª Bienal de Arte Contemporânea da Maia vai servir-se de 16 contentores espalhados pela cidade para convidar à reflexão sobre “as cidades e a sua comunidade”. Sob o mote “Import/Export”, farão parte do evento gratuito mais de 40 artistas nacionais e internacionais.

Performances, conversas, visitas, workshops e apresentações de livros. A 8ª Bienal de Arte Contemporânea da Maia quer ir “ao encontro da comunidade” e vai desdobrar-se em 16 contentores que serão instalados em sete locais da cidade - a Praça Doutor Vieira de Carvalho, o Parque da Cidade Desportiva, Maninhos, Castêlo da Maia, Mandim, Feira das Pedras Rubras e o Parque da Pícua.

Esta edição da iniciativa cultural, promovida pela câmara municipal da Maia, reúne intervenções de mais de 40 artistas de todo o mundo e procura “questionar os limites e as fronteiras contemporâneas dos territórios”. Terão lugar, ao todo, 26 eventos e serão apresentadas 24 novas criações. As intervenções estarão divididas em quatro clusters principais: arquitectura, design, artes plásticas e novos media. Cada uma destas áreas disporá de quatro contentores, sendo que os diversos clusters poderão estar misturados, “estimulando a criação de sinergias entre os vários temas, os artistas e a comunidade”, pode ler-se em nota de imprensa.

Tanto a exposição quanto as actividades paralelas são de entrada livre e gratuita.