O projecto Block Car Pollution foi um dos três finalistas escolhidos, entre 33 candidatos, pelo júri do Prémio Inovação Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM) 2017. A iniciativa habilita-se a receber até 500 mil euros.

A ideia, desenvolvida pela Ubiwhere, em colaboração com dois investigadores da Universidade de Aveiro, utiliza a tecnologia de blockchain (uma espécie de registo digital que oferece a possibilidade de ser programado para registar algo com valor virtual) para fomentar o uso de transportes colectivos e partilhados. De acordo com os autores, o projecto pretende disponibilizar aos utentes de transportes colectivos e partilhados uma plataforma de recompensa, capaz de produzir moedas e carteiras virtuais, aquando da compra de bilhetes às operadoras de transportes que se associarem ao projecto.

O Block Car Pollution permitirá ainda agregar os módulos de bilhética das operadoras, disponibilizando um mercado digital no qual poderão ser utilizadas as moedas virtuais para a aquisição de produtos e serviços de entidades parceiras.

Para além do Block Car Pollution, o júri do concurso escolheu os projectos “Fabrico de moedas comemorativas através de tecnologias aditivas” e “INTMOB - Intralogistics Mobile Assistant Unit for Flexible Manufacturing System”.

O vencedor do Prémio Inovação INCM 2017 irá receber até 500 mil euros para financiar o projecto de I&D (Investigação e Desenvolvimento). Já o segundo lugar será premiado com 250 mil euros, enquanto o terceiro posto irá arrecadar 100 mil euros.

O Prémio Inovação INCM destina-se a distinguir e premiar ideias inovadoras de soluções que estejam no âmbito do objecto social da Imprensa Nacional Casa da Moeda, em várias áreas, tais como tecnologias de informação e comunicação, eficiência energética e minimização dos impactos ambientais, novas tecnologias ou novos materiais, entre outros.

Na primeira edição do Prémio INCM, em 2016, foi distinguido o projecto “Papel Secreto – Uma Abordagem Inovadora e de Baixo Custo”, que tinha como propósito desenvolver sistemas electrónicos através da utilização de tecnologia implementada em papel, com o objectivo de aumentar a segurança dos documentos.