A partir de Outubro e durante três anos, a cidade francesa de Grenoble vai ser o tubo de ensaio, em tempo real, de um sistema de transportes que junta, numa só rede, um novo veículo eléctrico, o conceito de car-sharing e meios de transportes públicos.

“Citélib by Ha:mo” é o nome da iniciativa conjunta da cidade, da Metropolitana de Grenoble-Alpes, do Grupo EDF, da fabricante de automóveis Toyota e da Citélib, uma operadora de car-sharing local.

70 veículos eléctricos ultra-compactos e 30 postos de abastecimento, geridos pela Sodetrel do Grupo EDF, vão estar distribuídos pela cidade, em proximidade com as pontos de paragem de transportes públicos, como autocarros, trams ou comboios.

Através da ligação entre o sistema de car-sharing da Citélib e a infra-estrutura de rede do sistema de transportes públicos, os utilizadores vão poder levantar um veículo numa localização e deixá-lo noutra diferente.

Para além de promover a interconectividade com a rede pública, o projecto quer também promover a utilização de um novo conceito de mobilidade pessoal, através da utilização de um veículo mais pequeno e compacto. Para este projecto, vão ser utilizados dois modelos da Toyota: o COMS, com apenas um lugar, quatro rodas e um pequeno compartimento para bagagem, e o i-ROAD, com dois lugares e apenas três rodas. A empresa japonesa está ainda a desenvolver um sistema de gestão de dados que permitirá a visualização e reserva destes veículos, que será integrado com o sistema de dados da rede de transportes públicos de Grenoble, no sentido de permitir o planeamento de rotas multi-modais a partir de um smartphone.

A expressão “Ha:mo” refere-se ao conceito "mobilidade harmoniosa" (harmonious mobility, no original) da Toyota. Grenoble vai ser o segundo projecto do género no qual a fabricante participa, sendo que o primeiro decorreu no Japão. “Ha:mo foi concebida para reduzir o stress causado pelo trânsito, horas de ponta e procura por estacionamento. Permite também reduzir as emissões que provocam a pobre qualidade do ar nos centros das cidades”, explica Michel Gardel, presidente da Toyota Motor Europe.

“É uma oportunidade única para a nossa comunidade testar, durante três anos e exclusivamente na Europa, um novo modo de mobilidade que não só é inovadora, como é também económica e ecológica”, afirma o presidente da Metropolitana de Grenoble-Alpes, Christophe Ferrari.

Em Grenoble, em 2013, a rede de transportes públicas foi usada por 78 milhões de pessoas. A cidade dispõe ainda de outros sistemas de transporte alternativos, como por exemplo 5 000 bicicletas Métrovélo e mais de 320 km de ciclovias.

Foto: ©Sylvain Frappat