Quatro drones em Lisboa e dois no Porto vão passar a patrulhar, durante os dias úteis, o trânsito nas principais entradas das cidades para uma melhoria da mobilidade. Esta foi uma das formas inovadoras que a start-up portuguesa BuzzStreets encontrou para resolver os problemas relacionados com interrupções da via rodoviária.

“Se uma pessoa souber, em tempo real, que daqui a 15 minutos a Ponte 25 de Abril vai estar congestionada, gere melhor o seu dia – os drones vão conseguir isso, ao dar informação in loco”, explica João Marques Fernandes, CEO da start-up BuzzStreets.

Os equipamentos vão angariar informação e enviá-la em tempo real, via wireless, para a plataforma on-line/aplicação móvel BuzzStreets, durante o horário nobre do trânsito – entre as 06h30 e as 09h30 e entre as 17h30 e as 21h30. Na zona Oeste de Lisboa, levantando do Monsanto, os drones vão captar imagens da Avenida Marginal, da A5, da IC19 e da Ponte 25 de Abril, ao passo que, em Alverca, serão enviados vídeos da A8 e da A1. Já no Porto é dada a perspectiva do trânsito na VCI e na A3.

Para além da componente tecnológica, esta app (gratuita) trabalha de perto com as Câmaras Municipais de Lisboa (CML) e do Porto (CMP) promovendo uma troca mútua de informações. “No fundo, pegamos na informação que está disponível na cidade – na CML ou na CMP  – organizamo-la e colocamo-la num mapa, permitindo que os utilizadores finais saibam antecipadamente o que é que se passa na via”, clarifica o responsável da start-up. João Marques Fernandes dá um exemplo: “saio de casa de manhã, para levar as crianças ou ir ao ginásio ou à praia, e antes de me meter a caminho a aplicação apresenta uma push-notification que me diz para não entrar em determinada via, porque está lá uma obra a ocupar metade da via que vai provocar um atraso de 33 minutos para além do habitual”.

Os BuzzMotos e os BuzzInspectores fazem o resto. Os primeiros são funcionários "que andam na cidade a tirar fotografias de qualquer eventualidade do momento, como obras ou a queda de uma árvore”, durante períodos pré-determinados de cobertura e que, posteriormente, enviam esta informação para a plataforma. Paralelamente, os BuzzInspectores – ainda em fase de teste com a CMP – recorrem aos engenheiros civis e fiscais de obras para reportarem obras, também através de fotografias, dispobilizando a informação à plataforma e, automaticamente, às câmaras municipais.

Por enquanto, a app, que deverá ser expandida para outras cidades europeias, só está disponível para download para Android no website da BuzzStreets, estando até ao final deste mês no Google Play. A versão iOS, na Apple Store, estará disponível no início do mês de Outubro.