Em Oliveira de Azeméis, 20 bicicletas eléctricas partilhadas reforçam, desde o Verão, os argumentos a favor da mobilidade sustentável. As “Biclaz” são a mais recente aposta do município, que, até 2020, está também a investir na construção de 13 ciclovias.

Em Setembro, Oliveira de Azeméis foi uma das 60 cidades portuguesas a participar na Semana Europeia da Mobilidade. Para além desta semana de iniciativas com vista à promoção de modos de deslocação mais sustentáveis, o município está comprometido com medidas permanentes, que começam já a ganhar forma. Este Verão, Oliveira de Azeméis aderiu ao bike sharing: 20 bicicletas eléctricas, baptizadas de “Biclaz”, estão, agora, à disposição de quem vive ou visita a cidade e, até Agosto de 2017, de forma gratuita. Depois dessa altura, a tarifa será de 0,50 cêntimos por 15 minutos de utilização, sendo necessário um cartão de utilizador no valor de 10 euros.

A opção eléctrica justifica-se face ao terreno “algo acidentado” da cidade, numa tentativa de generalizar o uso da bicicleta e que, de outra forma, poderia inviabilizar a utilização por algumas pessoas, explica o presidente da câmara municipal, Hermínio Loureiro. “O interesse pelas Biclaz tem sido evidente. A procura tem sido muito interessante, o que nos levará, provavelmente, a alargar o projecto a outra áreas da cidade e do concelho”, admite.

Para tornar a mobilidade suave mais apelativa, as Biclaz não são a única proposta de Oliveira de Azeméis. Em concretização está também um conjunto de vias pedonais e ciclovias, cujos principais destinatários são os munícipes que habitam ou trabalham nos núcleos urbanos. Os projectos vão até 2020, revela o autarca: “Vamos instalar uma rede de 13 ciclovias que vai ao encontro também de uma estratégia nacional de descarbonização das cidades”.

Como objectivo, o executivo municipal propõe-se a construir, pelo menos, um troço de ciclovia por ano, dando prioridade às ligações entre os principais equipamentos da cidade.

"Com o sistema BiclAz, a missão é tornar o uso da bicicleta disponível para todos. (...) Mas o uso da bicicleta vai muito além desta medida. Temos incentivado e apoiado o uso da bicicleta na vertente desportiva, atraindo eventos, dos quais a Volta a Portugal em bicicleta é o expoente máximo na vertente de estrada mas também na vertente btt com a realização de competições olímpicas como o XCO, que conta, inclusive, para o apuramento para os Jogos Olímpicos. Também na vertente desportiva, apoiamos equipas de formação como são os casos a Escola de Ciclismo Bruno Neves ou da Bike Clube de Portugal", acrescenta o autarca.