Um sistema de orientação por cores para implementar em redes de metropolitano - foi este o projecto vencedor do 1º Hackathon de Transportes Internacional de Moscovo e tem cunho nacional. Da equipa vencedora fazem parte três alunos portugueses do mestrado integrado em Engenharia da Energia e do Ambiente da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

André Borges, Bernardo Tavares e Luís Martins são os três alunos nacionais que, em conjunto com estudantes espanhóis e colombianos, conquistaram o 1º lugar do concurso internacional de mobilidade sustentável realizado na capital russa.

O projecto vencedor - EZColours - tem como objectivo melhorar a orientação dos utilizadores dos transportes públicos de Moscovo, uma das cidades que, em 2018, vai receber a fase final do campeonato do mundo de futebol. Esta solução consiste num sistema dinâmico de orientação por cores, concebido para implementação em estações de metro. O EZColours vai ajudar a esclarecer os passageiros relativamente ao caminho mais apropriado tendo em conta o destino pretendido.

A maratona de programação e desenvolvimento de protótipos, promovida pela Youth for Public Transport Foundation (Y4PT), teve como objectivo aproveitar a criatividade e os conhecimentos de jovens de todo o mundo para promover a utilização dos transportes públicos, assim como a eficácia destes.

Neste primeiro Hackathon de Transportes Internacional de Moscovo, que teve lugar entre os dias 18 e 22 de Novembro, participaram 20 equipas de várias nacionalidades. Alguns dos tópicos para desenvolvimento de soluções envolviam, entre outros, a utilização de realidade virtual no apoio à navegação nos sistemas de transporte público, a criação de um sistema interactivo de informação para os passageiros e o desenvolvimento de um chat-bot para o sítio web do metropolitano de Moscovo e para a sua aplicação móvel.

O primeiro Hackathon de Transportes Internacional aconteceu em Maio de 2017, em Montreal (Canadá). Aí, a equipa constituída por Portugal, Holanda, Uganda e Mali alcançou o segundo lugar, com o projecto Air4.