Foi durante a Semana Europeia da Mobilidade (SEM), no passado mês de Setembro, que o Fundão apresentou a aplicação móvel da iniciativa europeia MUV - Valores Urbanos de Mobilidade, ou, no inglês, Mobility Urban Values. A app coloca cidadãos, comerciantes e autoridades locais a recolher dados e a mapear as deslocações urbanas, com o objectivo de co-construir a cidade, adequando as políticas de mobilidade às necessidades reais das pessoas e do uso que é feito da cidade. No Fundão, o projecto piloto decorre no centro histórico da cidade, mas há mais cidades participantes: Amesterdão (Países Baixos), Barcelona (Espanha), Gent (Bélgica), Helsínquia (Finlândia) e Palermo (Itália).

O município do Fundão quer envolver os cidadãos na definição das suas políticas de mobilidade e é por isso que toma parte da iniciativa europeia MUV. Coordenado pela Bag Innovation, consultora nacional na área do planeamento urbano, e apoiado pelo município – ambos parceiros no projecto – o piloto quer promover a adopção de hábitos de mobilidade mais sustentáveis entre a sua população e é, nesse sentido, que integra, desde o passado mês de Janeiro, a iniciativa europeia, financiada pelo programa Horizonte 2020, o maior programa de sempre de financiamento para a investigação e inovação desenvolvido pela União Europeia.

MUV – Mobility Urban Values

No passado dia 22 de Setembro – último dia da SEM –, o município do Fundão dedicou-se a promover a app MUV. Encorajar os fundanenses a instalar e usar da app, mas também a adoptar hábitos de mobilidade mais saudáveis e amigos do ambiente, como o andar a pé ou de bicicleta pela cidade, foram os grandes objectivos deste evento, que decorreu no jardim público do Fundão. Para incentivar os cidadãos, foi lançado um desafio, com duração de um mês, que premeia quem acumular mais pontos, sendo que os pontos são atribuídos a quem demonstrar ter os comportamentos de deslocação mais sustentáveis.

O MUV desdobra-se em duas componentes principais: um jogo e estações de monitorização de dados que serão instaladas na cidade. O jogo, produzido numa app, vai avaliar as rotinas diárias, através da recolha de dados e padrões reais dos hábitos de mobilidade dos cidadãos.

Os dados recolhidos vão estar em regime de dados aberto, possibilitando a sua análise e utilização por parte de investigadores, decisores públicos e pela comunidade em si. Serão testados vários cenários de mobilidade e os utilizadores que demonstrarem os hábitos de deslocação mais sustentáveis serão recompensados com pontos que permitem aceder a benefícios junto de uma rede local de parceiros comerciais. A ideia é melhorar a mobilidade urbana, com desafios, como torneios, missões e aventuras, que têm a própria vida na cidade como pano de fundo.

O MUV recolhe os dados relativos aos hábitos de deslocação dos cidadãos e integra-os, depois, na tomada de decisão e no planeamento das políticas de mobilidade. Estes dados são utilizados para “inspirar políticas de mobilidade inovadoras que não se baseiam em fluxos automóveis, mas nos fluxos das pessoas”, como se pode ler no portal oficial do MUV do Fundão. O resultado são soluções co-construídas, feitas à medida das necessidades de quem vive, passeia e habita na cidade, e as deslocações diárias dos cidadãos tornam-se numa útil ferramenta política e de planeamento urbano à disposição dos decisores, que, assim, agem sobre cenários reais.

Seis cidades, seis bairros

Cidadãos e autarcas juntos na tarefa de planear e construir um espaço urbano capaz de proporcionar melhor qualidade de vida e de corresponder às necessidades reais de quem vive a cidade — este é o objectivo que une seis bairros de seis cidades europeias neste piloto de mobilidade. A partir de Janeiro de 2019, serão ainda mais cidades a aderir ao projecto.
O MUV é implementado em três fases em todas as cidades, ainda que em datas distintas. As duas primeiras já estão concluídas, faltando concluir a terceira, que será realizada entre Maio e Julho do próximo ano.

O programa vem trazer benefícios incontornáveis à cidade do Fundão. A gestão de transportes e mobilidade entre o município e outros centros urbanos da região é crucial para a estratégia de inovação social e tecnológica, promovendo a transformação social e económica.

Ao integrar a iniciativa MUV, a câmara municipal do Fundão pretende fazer uso da inovação social para coordenar um processo de transformação que, espera-se, permita reter população e criar novos postos de trabalho, fortalecer a coesão social e fomentar a regeneração urbana e a revitalização da economia rural.

O MUV é inspirado na experiência italiana trafficO2, um projecto que começou em 2012 e tem sido desenvolvido na cidade de Palermo nos últimos três anos. Este projecto envolveu 2000 estudantes da Universidade de Palermo e 100 empresas locais. Aqui, tal como no MUV, a aplicação móvel teve como objectivo reduzir o trânsito e a poluição.

Fora do âmbito da mobilidade, o município do Fundão destacou-se nos prémios RegioStars pela obra do Centro de Negócios e Serviços Partilhados (CNSP), na categoria “Apoio à transição industrial inteligente”. O reconhecimento chegou no passado mês de Outubro, posicionando o centro empresarial do Fundão como estando entre a melhores práticas na aplicação dos fundos comunitários e da política de coesão. O CNSP existe desde 2013 e foi criado com o objectivo de dinamizar a estratégia local de inovação e investimento, de maneira a que os jovens tenham mais oportunidades de emprego e não precisem, assim, de sair do país para trabalhar.