A Associação para a Mobilidade Urbana em Bicicleta (MUBi) lançou, no final de Maio, um mapa colaborativo para identificar e caracterizar os estacionamentos para bicicletas instalados em Portugal. Para além de possibilitar a identificação e avaliação das estruturas de parqueamento existentes, o mapa Cidade Ciclável permite também identificar lugares que os utilizadores consideram ideais para a instalação de novos estacionamentos.

Apesar de ter sido lançado no final de Maio, a MUBi escolheu o dia 3 de Junho - Dia Mundial da Bicicleta - para apresentar oficialmente a plataforma colaborativa Cidade Ciclável. O mapa é colaborativo, podendo ser completado e actualizado por qualquer pessoa interessada, e tem como objectivo “divulgar e dar visibilidade aos estacionamentos de bicicleta existentes”. Segundo a associação, este mapa vem responder à “falta de lugares adequados para deixar a bicicleta em segurança”, “um dos maiores obstáculos à utilização quotidiana da bicicleta”.

Para além de permitir que os utilizadores adicionem pontos em que se localizam estruturas destinadas ao parqueamento de bicicletas - habitualmente denominadas bicicletários -, o mapa convida à avaliação destes pontos por parte de todos os utilizadores da plataforma. Sempre que uma estrutura de parqueamento de velocípedes é adicionada, o utilizador que identifica o local é convidado a adicionar detalhes sobre a mesma, aumentando o nível de detalhe e oferecendo informações sobre o nível de segurança oferecido e sobre a sua localização.

Na região da Grande Lisboa, aquela com mais identificações de locais apropriados para o estacionamento de bicicletas, haviam sido identificados, à data de publicação desta notícia, mais de 400 bicicletários. Na região do Porto, encontravam-se, à mesma data, identificadas mais de 120 estruturas de parqueamento. A associação ligada à mobilidade urbana em bicicleta considera, em nota de imprensa, os bicicletários como uma “opção económica para autoridades públicas locais promoverem esta forma de mobilidade sustentável, ecológica e amiga das cidades”.

A MUBi considera “fundamental” para a promoção da intermodalidade, a instalação destas estruturas em lugar suficiente e adequado junto a paragens e interfaces de transporte público. Segundo a associação, há “três equipas atentas à informação gerada em Aveiro, Lisboa e Setúbal”, com o objectivo de “trabalhar” dos dados introduzidos pelos utilizadores e “colaborar” com autarquias locais e empresas.

O mapa Cidade Ciclável é o resultado do trabalho da MUBi com um grupo de programadores brasileiros, autores da Bike de Boa, plataforma brasileira idêntica.