O projecto VoxPop, que promete transformar os comentários dos lisboetas em melhorias reais do sistema de transportes públicos, foi um dos 20 seleccionados na categoria Transição Digital pela quarta edição do concurso Acções Urbanas Inovadoras (UIA, na sigla em inglês), uma iniciativa da Comissão Europeia que garante a atribuição de recursos para testar soluções urbanas inovadoras.

Um projecto que visa facilitar a participação cívica na melhoria do sistema de transporte público, ao prometer criar uma plataforma de comentários dos cidadãos que devem, depois, ter como resultado melhorias concretas no funcionamento dos serviços de transporte colectivo da cidade de Lisboa - o VoxPop foi um dos 20 projectos seleccionados, entre 175 remetidos a concurso, pela iniciativa UIA da Comissão Europeia. Entre os sete projectos submetidos por cidades portuguesas, este foi o único a figurar entre os escolhidos.

Com cerca de 4,5 milhões de euros para a sua execução, o projecto lisboeta vai arrancar em 2019 e vai ser gerido pela EMEL, contando com a participação da Carris, do Metropolitano de Lisboa, da ARMIS, Deloitte Portugal, Beta-i e OTLIS. O VoxPop fez de Lisboa uma das cidades escolhidas pelo UIA, que tem como objectivo promover o teste e a implementação de soluções inovadoras para os desafios das cidades europeias.

Quando o projecto estiver implementado, os comentários deixados pelos utilizadores do sistema de transportes públicos deverão ser utilizados para promover a adopção de medidas concretas de melhoria ao nível do planeamento, operação e manutenção, criando “serviços avançados de mobilidade centrados no utilizador”, revela a descrição remetida ao concurso.

O VoxPop vai, assim, contar com a atribuição de fundos provenientes do FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. Ao todo, nesta quarta edição do concurso comunitário, estão alocados 82 milhões de euros para testar soluções inovadoras em Portugal, Grécia, Finlândia, Itália, Espanha, Holanda, França, Suécia, Áustria, Roménia, Reino Unido, Bélgica e Alemanha.

Para além da Transição Digital, a iniciativa abrange projectos pertencentes a outras três categorias: Uso Sustentável do Solo e Soluções Baseadas na Natureza, Pobreza Urbana e Segurança Urbana.