Acelerar projectos nas áreas da transição energética, economia circular, mobilidade e digital - é este o objectivo da UP - Upcoming Energies, a “fábrica de inovação” que a energética Galp abriu na passada quarta-feira, em Lisboa. Concebida a pensar na comunidade empresarial clean-tech, a unidade instalada junto ao rio Tejo pretende ajudar no desenvolvimento e lançamento de projectos inovadores.

A unidade de aceleração de soluções baseadas em tecnologias limpas começou o seu trabalho pela avaliação de start-ups. Com o objectivo de “criar um hub de ideias e novos projectos em escala internacional”, este trabalho já estará a ser feito “em áreas que vão desde o rating de crédito a tecnologias de ponta que ajudam a optimizar o desempenho e o rendimento de parques solares de grande escala, com recurso ao armazenamento de energia, revestimentos, robôs de limpeza e painéis bifaciais”.

Os projectos incubados na UP deverão demonstrar “oportunidades potenciais que possam beneficiar a Galp e seus clientes” nas áreas do digital, da “mobilidade do futuro”, transição energética e economia circular. A recém instalada “fábrica de inovação” vai promover a realização de projectos pilotos, guiando o surgimento de novas soluções nas fases de desenvolvimento, lançamento e comercialização, anuncia a Galp em comunicado de imprensa.

O foco será colocado na comunidade empresarial ligada às soluções clean-tech e a abordagem parte de um “ponto de vista humano, ou seja, dos problemas concretos que as pessoas enfrentam no seu quotidiano”, esclarece a empresa do sector energético. O investimento na instalação da UP, junto ao rio Tejo, foi realizado no âmbito da “estratégia de transformação da Galp”, com o propósito de dar resposta “à transição energética em curso”. O objectivo final é o desenvolvimento de soluções que respondam às necessidades dos cidadãos e que contribuam para a “superação” dos seus problemas.

Richard Lagrand, ex-director do programa de aceleração de start-ups Startupbootcamp, em Barcelona, será o responsável pela unidade de inovação que desenvolveu, em conjunto com a Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais da Universidade Católica de Lisboa e a Fabstart, um programa de estágios de Verão on-line que promove a “realização de pesquisas e testes de mercado sobre diversos aspectos relacionados com a forma como as pessoas utilizam a energia no seu quotidiano doméstico”.