Já se conhecem os vencedores dos EU Sustainable Energy Awards, divulgados durante a 15ª edição da Semana Europeia da Energia Sustentável (EUSEW), a primeira a realizar-se de forma “completamente digital”. O projecto Clear 2.0 venceu na categoria dedicada ao envolvimento, prometendo “ajudar pessoas a tornarem-se produtoras e consumidoras” - prosumers.

Adaptada ao contexto pandémico, a edição deste ano da Semana Europeia da Energia Sustentável teve início no dia 22 e terminou na passada sexta-feira, dia 26. Numa cerimónia transmitida on-line na terça-feira, foram revelados os três vencedores dos EU Sustainable Energy Awards – os prémios europeus de energia sustentável, nas categorias envolvimento do cidadão, inovação e juventude.

Na categoria envolvimento cidadão, a primeira posição foi conquistada pelo projecto Clear 2.0, que conta com a DECO Proteste como parceira. Apresentado pelos prémios organizados pela Comissão Europeia como “um dos mais destacados projectos” por “inspirar cidadãos a assumir um papel proactivo na transição energética da Europa”, o Clear 2.0 pretende “ajudar pessoas a tornarem-se produtoras e consumidoras” de energia, isto é, prosumers. Procurando solucionar as “razões por trás das hesitações” das pessoas, “informando-as e apoiando-as ao longo de todos os passos de conversão para sistemas renováveis”. O projecto, sediado em Bruxelas, na Bélgica, já realizou testes de tecnologias renováveis, com recurso a soluções como telhados preenchidos com painéis solares fotovoltaicos ou bombas de calor. Estes testes decorreram em Portugal, Espanha, Eslovénia, Itália, República Checa e Bélgica.

Na categoria inovação, o primeiro lugar coube ao Remote, um projecto na área das energias renováveis e eficiência energética que promove a autossuficiência energética de comunidades europeias através de tecnologias baseadas no hidrogénio.

Já no que se refere à juventude, o processo de apuramento do vencedor, através da avaliação de um júri de especialistas, determinou que fosse o projecto Fair (FER) o grande vencedor. Sediado em Zagreb, na Croácia, pretende desenvolver soluções para os desafios da pobreza energética através de formação dada por estudantes de engenharia eléctrica e através da realização de auditorias que resultam na identificação de “medidas simples” de poupança de energia.

O prémio do público desta edição premiou o projecto dos Países Baixos cVPP, que pretende ajudar comunidades locais a assumir o controlo da geração de energia renovável através de cooperativas de geração de energia.

No total, na edição de 2020 dos EU Sustainable Energy Awards competiam nove finalistas para as três categorias. Mas houve novidades: foram reconhecidos os feitos de três mulheres no sector energético europeu, através da criação da categoria Mulheres na Energia.

O projecto português Fatura Amiga, uma iniciativa da associação para a defesa do consumidor DECO que tem como objectivo “empoderar” os consumidores de energia e ajudá-los a melhorar a sua compreensão da informação presente nas facturas de energia, ficou entre os nove finalistas.