Seis redes europeias de autoridades locais e regionais uniram-se para uma declaração conjunta, divulgada a 24 de Junho. O propósito? Promover o reconhecimento das cidades e da iniciativa local como instrumento-chave numa maior segurança energética da União Europeia.

Antecipando “disrupções” no abastecimento de energia durante o próximo Inverno, devido aos tumultos geopolíticos entre Rússia e Ucrânia, as autoridades locais europeias defendem um contributo regional a “curto, médio e longo prazo”. Além do ênfase dado à implementação dos Planos de Acção para a Energia Sustentável, elaborados no âmbito do Pacto de Autarcas, as atenções viram-se também para a eficiência energética. É necessário “moderar a procura de energia, nomeadamente através da gestão energética eficiente dos seus bens municipais, usando meios mais eficientes de produzir e distribuir energia e comunicar com os cidadãos”, pode ler-se na declaração conjunta.

Com estes pressupostos, vai ser lançada uma campanha de informação destinada às cidades e regiões europeias, instando à acção imediata na área energética. As redes signatárias da declaração conjunta querem ainda promover a partilha de boas-práticas entre  cidades, assim como a relação das cidades com as autoridades nacionais e instituições europeias.

A declaração é da autoria da Climate Alliance, Council of European Municipalities and Regions, Energy Cities, Eurocities, ICLEI e FEDARENE – Federação Europeia de Agências e Regiões para a Energia e o Ambiente.