Um projecto do município de Lousada que pretende educar para a sustentabilidade superou iniciativas da cidade belga de Leuven e da capital alemã, Berlim, tendo-lhe valido a conquista de um prémio europeu. A vila portuguesa destacou-se pela utilização da educação ambiental para promover a ligação entre residentes locais e a paisagem rural do concelho e é a grande vencedora do terceiro Prémio Europeu da Acção Transformativa para a Sustentabilidade. O anúncio foi feito no passado dia 21 de Novembro.

O projecto do município de Lousada, pertencente ao distrito do Porto, destacou-se entre a concorrência europeia pelo seu “potencial de promover a transformação sociocultural, socioeconómica e tecnológica da comunidade”. Lousada é a grande vencedora do terceiro Prémio Europeu da Acção Transformativa para a Sustentabilidade, um galardão que premeia cidades, regiões ou organizações da sociedade civil que contribuam para a implementação dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e para o Acordo de Paris. Este reconhecimento é atribuído pelo ICLEI - Governos Locais pela Sustentabilidade, Comité das Regiões Europeu (CR), pelo Banco Europeu de Investimento (BEI), a cidade dinamarquesa de Aalborg e o País Basco.

Em Outubro, era anunciado o lote dos três projectos finalistas, escolhido entre 40 candidaturas. O vencedor sairia de um de três municípios europeus: Lousada, Leuven ou Berlim. A capital alemã concorria com o projecto Circular Berlin, com o objectivo de alavancar a economia circular da capital alemã através de plataformas de colaboração e troca de conhecimentos, e a cidade belga de Leuven competia com a iniciativa Leuven 2030, destinada a delinear um mapa para o município alcançar a neutralidade carbónica, através da criação de um modelo inovador de governança. Foi, no entanto, o projecto de educação integrada para a sustentabilidade, do município português, aquele que levou a melhor.

Com o objectivo de fortalecer a ligação da comunidade com a paisagem rural do concelho, criar emprego e enfrentar problemas como “poluição da água, incêndios florestais, espécies invasoras” ou a “perda de diversidade”, a estratégia do município assenta, desde 2017, nos eixos da educação ambiental, da participação cidadã e da infra-estrutura, lê-se em comunicado do ICLEI. No âmbito do projecto, foram já plantadas 40 mil árvores de espécies autóctones e restaurados mais de 20 hectares de “terras degradadas”, com o apoio de 4500 voluntários. Também no capítulo da gestão de resíduos se verificou um crescimento da reciclagem para mais de 500 toneladas anuais.

Para além da conquista do título de “Acção Transformadora do Ano 2019”, Lousada recebe dez mil euros, destinados à implantação de uma acção transformativa. O anúncio foi feito no passado dia 21 de Novembro, durante o Comité das Regiões Europeu.

Durante a cerimónia, foi ainda apresentado um novo guia (disponível para download) com 15 exemplos de acções replicáveis - entre os quais está a estratégia seguida por Lousada - para vilas e cidades que procurem alcançar os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável traçados pela Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Fotos: © Municipality of Lousada, Portugal