A segurança que a tecnologia blockchain traz aos registos e transacções constitui uma oportunidade única para resolver muitos dos desafios ambientais a nível global. Mas governos, investidores e developers não estão a tirar o devido partido dela - a conclusão é de um relatório divulgado este mês pelo Fórum Económico Mundial (FEM).

A aposta no desenvolvimento de soluções com recurso a tecnologia blockchain - que permite registos seguros e rápidos de dados e transacções - tem estado centrada nas áreas dos serviços financeiros e da logística comercial, mas o potencial dos modelos blockchain pode e deve - na visão do FEM - ser aplicado na resolução de alguns dos mais prementes desafios ambientais da actualidade.

O relatório, tornado público no passado dia 14 de Setembro, durante a Cimeira de Acção Global para o Clima e disponibilizado gratuitamente aqui, apela à urgente necessidade de promover um ecossistema blockchain orientado para a responsabilidade ambiental, capaz de agir enquanto motor de desenvolvimento sustentável e criação de valor. O documento resulta de uma parceria com a consultora PwC e elenca 65 formas de aplicação de tecnologia blockchain orientadas para a resolução de desafios ambientais. O objectivo é promover um ecossistema de inovação sustentável, impedindo que as aplicações desta tecnologia se fiquem, como o documento sugere estar a acontecer hoje em dia, por iniciativas individuais e orientadas para outras áreas de actividade.

A descentralização da gestão dos recursos naturais ou a criação de sistemas de logística mais transparentes são apenas algumas das aplicações sugeridas pelo documento para a implementação de modelos blockchain, que permitirão levar ao desenvolvimento económico sustentável. Terminar com a sobrexploração de matérias como o óleo de palma ou seguir o curso dos peixes, desde que são pescados até que são consumidos - aumentando a transparência na produção e a segurança alimentar -, são possibilidades oferecidas pela aplicação de soluções que recorrem a esta tecnologia.

De acordo com o relatório, estas e outras oportunidades têm sido largamente menosprezadas nas actuais aplicações da tecnologia de registos. A chamada de atenção vai, assim, no sentido de utilizar várias aplicações para abrir caminho à transição para a sustentabilidade, tirando partido e gerindo o capital natural.