A plataforma AYR, desenvolvida pelo centro de engenharia e de desenvolvimento de soluções tecnológicas português CEiiA, foi uma das cinco finalistas de uma competição internacional para a melhoria da qualidade do ar de Copenhaga. A solução nacional, que premeia escolhas de mobilidade sustentáveis, destacou-se entre 45 candidaturas de 23 países. A vencedora da competição, proveniente da Suíça, pretende usar musgo nas superfícies urbanas para diminuir o aquecimento e melhorar a qualidade do ar.

A plataforma de créditos AYR, apresentada em 2018 na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), foi uma das cinco finalistas de uma competição promovida pelo município da capital dinamarquesa e pela Access Cities, organização financiada pela confederação industrial da Dinamarca. Foi no passado dia 1 de Outubro que a solução nacional, de incentivo à adopção de comportamentos de mobilidade sustentáveis, através da atribuição de prémios e recompensas, foi anunciada como uma das cinco finalistas da chamada internacional que reuniu 45 candidaturas de 23 países.

A plataforma AYR, desenvolvida pelo centro tecnológico CEiiA, com sede em Matosinhos, tira partido de tecnologia blockchain - permitindo registos rápidos, seguros e automáticos de transacções - para atribuir créditos às pessoas que utilizarem meios de transporte sustentáveis, como a bicicleta. Estes créditos podem depois ser utilizados numa rede de parceiros, sendo trocados por bens e serviços “verdes”. Esta plataforma de sustentabilidade, permite quantificar, valorizar e transaccionar as emissões evitadas de gases com efeito de estufa.

Em nota de imprensa, Gualter Crisóstomo, director de Corporate Governance do centro tecnológico português, revelou que “a câmara de Copenhaga já mostrou interesse em concretizar o projecto na cidade”.

A solução vencedora da competição internacional, anunciada no passado dia 11, veio da Suíça. Desenvolvida pela start-up 4MOSST, a solução com o mesmo nome pretende cobrir superfícies urbanas com musgo para combater o aquecimento das cidades e melhorar a qualidade do ar.

A competição, lançada pela cidade de Copenhada e pela Access Cities na procura de ideias inovadoras para reduzir os impactos da poluição atmosférica urbana e o efeito das ilhas de calor, inscreve-se nos objectivos, traçados pela capital dinamarquesa, de fazer daquela cidade a primeira capital mundial neutra em emissões de carbono até 2025.